Seca reduzirá comercialização na Expodireto Cotrijal 2012

MARCO QUINTANA/JC

Mânica acredita que produtores buscarão tecnologias e melhorias

Mânica acredita que produtores buscarão tecnologias e melhorias

A seca que já alimenta perdas estimadas em quase R$ 3 bilhões na receita com a safra 2011/2012 rebaixou a expectativa de negócios da Expodireto Cotrijal deste ano, que ocorrerá de 5 a 9 de março em Não-Me-Toque. Os organizadores projetam que o faturamento não deve alcançar o R$ 1 bilhão de 2011, que teve o impulso de uma colheita recorde e sem problemas com chuvas. O presidente da Cooperativa Agropecuária e Industrial (Cotrijal), Nei César Mânica, disse ontem, em Porto Alegre, ao lançar o evento, que aposta em maior atração de produtores, o que poderá superar o fluxo de 160 mil da edição passada.
Para Mânica, o ano de frustração, cujo tamanho ainda depende do comportamento do clima em fevereiro, motivará agricultores a buscar mais tecnologia e conhecimento. â€œÉ nas dificuldades que se busca solução”, indicou o presidente, no lançamento informando que estão confirmados 450 expositores em 84 hectares de mostra na área de máquinas e equipamentos agrícolas. “Temos fila de espera de 70 empresas”, lembra o dirigente. Este ano houve a ampliação em mais 14 mil metros quadrados, abrindo para mais 40 lotes. Para os organizadores, a redução da renda da atividade sob efeito da colheita menor poderá reduzir em parte a capacidade de contrair novos financiamentos. Mas Mânica avalia que a capitalização gerada por resultados anteriores e o vencimento de parcelas em 2013 poderão garantir as contratações. Os expositores devem ostentar tabelas com preços especiais.
A estiagem estará em pauta com debates sobreas medidas previstas no plano de irrigação, em formulação pelo governo estadual. “Não podemos vender falsas ilusões”, ressaltou Mânica, que defendeu a desburocratização da concessão de licenças ambientais. A feira inserirá o desfalque gerado pela seca dentro do debate de um seguro agrícola que garanta cobertura do custeio bancário e da renda do produtor. “Se a produtividade média é de 50 ou 60 sacas por hectare, é isso que o produtor tem de receber”, exemplificou. Uma audiência pública será promovida durante a Expodireto reunindo comissões do Senado e da Assembleia Legislativa para debater o modelo de seguro. A organização quer impulsionar negociações entre visitantes e expositores. Estão previstas 2 mil rodadas de negócios em cinco dias. O segmento internacional, que será instalado em 600 metros quadrados, terá representantes de 70 países. “A área internacional será um dos diferenciais”, aposta.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.