Seca reduz produção recorde de soja no país

A estiagem que prejudicou o desenvolvimento de lavouras em regiões de Mato Grosso e do "Matopiba" – confluência entre os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia – levou a Conab a reduzir sua estimativa para a colheita de soja no país nesta safra 2015/16.

Em levantamento divulgado ontem, a autarquia passou a projetar a produção da oleaginosa, carro-chefe do agronegócio nacional, em 99 milhões de toneladas, 2,2 milhões a menos que o previsto em março. Mesmo assim, trata-se de um volume recorde. Basicamente por causa dessa correção, o cálculo da Conab para a colheita total de grãos no Brasil no ciclo atual caiu para 209 milhões de toneladas, volume ainda 0,6% superior ao de 2014/15 e também recorde. De acordo com o IBGE, que também divulgou ontem um novo levantamento sobre a safra, serão 210 milhões de toneladas.

No caso da segunda safra de milho, em contrapartida, a Conab elevou sua estimativa para 57,1 milhões de toneladas, 4,7% mais que o registrado na temporada de inverno do ciclo 2014/15. Esse ajuste para cima mais do que compensou o corte na projeção para a colheita da safra de verão de milho – para 27,5 milhões de toneladas, 8,5% menos que na temporada anterior -, e assim a previsão para a produção total de milho subiu para 84,7 milhões de toneladas, mesmo patamar do ciclo anterior.

Entre os produtos básicos, chama a atenção a queda prevista para a colheita de arroz. Conforme a Conab, serão 11,2 milhões de toneladas em 2015/16, volume 10,2% inferior ao de 2014/15. Esse tombo decorre da redução da área plantada, que chegou a quase 12%. Já para o feijão, a projeção da autarquia aponta para um crescimento de 6,2% na mesma comparação, para 3,3 milhões de toneladas. (Colaborou Bettina Barros, de São Paulo)

Mais em www.conab.gov.br e em www.ibge.gov.br

Por Fernanda Pressinott, Cristiano Zaia e Robson Sales | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *