Seca prejudica o desenvolvimento da safrinha no centro-oeste de SP

Estiagem prejudicou 20% dos 42 mil hectares plantados em Ourinhos.
Já tem agricultor procurando o seguro agrícola para reduzir as perdas.

Do Globo Rural


Clique aqui para assistir o vídeo

Há um mês não chove no milharal do agricultor Horácio Marvulle, em São Pedro do Turvo, no Vale do Paranapanema.

Sem chuva, o número de folhas secas e amareladas cresce a cada dia na plantação.

Se o clima tivesse colaborado, as plantas do milharal plantado no início de março estariam medindo aproximadamente 1,80 metro, mas a estiagem prejudicou o desenvolvimento da lavoura, que já contabiliza uma perda de metade da produção.

A estimativa é de que pelo menos 20% dos 42 mil hectares plantados com milho safrinha na região de Ourinhos já tenham sido comprometidos por causa da seca.

“O milho não está armazenando todo seu potencial e essa lavoura está na época de florescimento. A falta de chuva vai prejudicar porque está fase é extremamente dependente de umidade", explica Sérgio Tâmbara, agrônomo da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral.

O agricultor João Bento também foi pego de surpresa pela estiagem. Com o prejuízo inevitável na produção, o produtor que esperava colher 80 sacas de milho por hectare acionou a seguradora, mas a apólice deve cobrir apenas metade do valor que ele investiu na plantação. “É muito frustrante porque a gente não gostaria que isso estivesse acontecendo. A gente quer colher, quer ter lucro. As despesas aumentaram e os custos estão alto, queria colher, pelo menos, 60 ou 70 sacas por hectare para não precisar do seguro”, diz.

O agrônomo Sérgio Tâmbara lembra ainda que é importante pedir o seguro agora para que seja feita a perícia. Se isso for feito depois da colheita, fica mais difícil comprovar as perdas.

Fonte: G1

Compartilhe!