Santa Catarina prorroga dívidas de produtores afetados pela seca

Secretaria de Agricultura do estado divulgou ainda linhas de crédito para custeio e capital de giro para pequenos produtores, empreendimentos rurais e outros; confira!

Foto: Secretaria de Agricultura de Santa Catarina/ Divulgação

A Secretaria de Agricultura de Santa Catarina anunciou a prorrogação do prazo de vencimento das parcelas de financiamentos contraídos junto ao Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR). Segundo o órgão oficial, as parcelas anuais que venceriam em março, abril, maio ou junho poderão ser pagas no dia 3 de agosto de 2020.

No entanto, a secretaria afirma que os contratos com vencimento após 30 de junho de 2020 não serão prorrogados, assim como aqueles produtores inadimplentes com o fundo de desenvolvimento por 90 dias ou mais.

A medida tem como objetivo minimizar as perdas com a estiagem no estado. De acordo com o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Santa Catarina já acumula prejuízos que passam de R$ 436 milhões com a falta de chuvas, principalmente na produção de grãos, fruticultura e bovinocultura de leite.

“Temos novos programas que devem apoiar os produtores nesse momento, com incentivo para comercialização e para investimentos na produção. Serão mais de R$ 6,5 milhões destinados para apoiar os agricultores, além dos programas tradicionais da secretaria que seguem em funcionamento”, disse o secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa. Segundo o órgão, esses R$ 6,5 milhões seriam transformados em crédito e subvenção aos juros para manter a competitividade no meio rural.

Crédito rural para custeio ou capital de giro

A secretaria informa que está disponível financiamento de custeio ou capital de giro de agricultores familiares e pescadores, que transformam sua produção e comercializam utilizando a Nota de Produtor Rural. A estimativa é que os investimentos cheguem a R$ 1,5 milhão em todo o estado.

O projeto prevê financiamentos via Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) de até R$ 30 mil, com cinco anos de prazo para pagamento sem juros.

Empreendimentos rurais com CNPJ

Para empreendimentos rurais com CNPJ, a secretaria prevê investimento de R$ 1,5 milhão, via Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), para subvenção aos juros de financiamentos adquiridos por agricultores e pescadores, com até 2,5% ao ano.

“Os financiamentos seguirão as regras de contrato feito com o agente bancário, num limite de R$ 100 mil”, disse a secretaria.

Crédito para construção de poços artesianos

Através do Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), serão disponibilizados R$ 1,5 milhão em financiamentos sem juros para captação e uso da água.

O financiamento via FDR tem o limite de R$ 25 mil por produtor, com cinco anos para pagar e sem juros. “Essa é uma linha já existente e que será reforçada ao longo de 2020”.

Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar

A pasta destinará R$ 2 milhões para apoiar a agricultura familiar em Santa Catarina através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), metade desse valor será voltado para compra de leite e derivados.

Os recursos do Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) serão repassados aos municípios através de convênio, num limite de R$ 30 mil para aquisição de alimentos da agricultura familiar, no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade de compra institucional.

A prioridade serão os municípios que apresentarem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo de 0,7; estejam organizados em seus conselhos e a economia esteja baseada no agronegócio.

Os alimentos adquiridos deverão ser destinados à famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional, preferencialmente aquelas inscritas no Cadastro Único.

Alimentação escolar

A Secretaria da Educação assinou 61 contratos com 42 cooperativas de agricultura familiar para utilizar integralmente o valor do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e as estimativas são de que em torno de 350 mil alunos sejam atendidos com os kits de alimentação.

A expectativa é que a aquisição de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar irá injetar, mensalmente, R$ 5,9 milhões na economia de Santa Catarina. O valor provém do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), repassado do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e da Secretaria de Estado da Educação.

Mais informações

Os produtores rurais interessados em participar os programas devem entrar em contato com o escritório municipal da Epagri ou através do aplicativo EpagriMob.

06 de maio de 2020 às 10h25
Fonte: Por Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *