Safra das azeitonas deve ter alta de até 71% na produção

Número já indica recuperação da safra 2019/2020, que foi marcada pela falta de sol e excesso de chuvas

03/03/2021 | 20:41

Carolina Pastl*

Estado deve colher até 900 toneladas da fruta

Estado deve colher até 900 toneladas da fruta | Foto: Emerson Alves / AgroUrbano

A safra 2020/2021 das oliveiras, cuja colheita já iniciou, deve registrar aumento de produção de até 71,4% em relação à passada no Rio Grande do Sul, totalizando 900 toneladas de azeitonas. Com este volume, a expectativa é quase dobrar a última produção de azeite extravirgem, com cerca de 90 mil litros. A estimativa é do presidente do Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva), Paulo Marchioretto. A alta indica uma recuperação dos números alcançados em 2019/2020, período marcado pela falta de sol e excesso de chuvas, que prejudicou a floração dos pomares.

Além do clima favorável, que antecipou em um mês a colheita, Marchioretto atribui a este cenário positivo o aumento de 16,7% da área cultivada, que abrange hoje 7 mil hectares. “Há também um interesse cada vez maior nesta cultura, que ainda é muito pequena no país, o que dá margem para investir”, avalia. O Brasil é o segundo maior importador de azeite de oliva, perdendo apenas para os Estados Unidos. Das 96 mil toneladas consumidas, apenas 48 toneladas são produzidas internamente.

O Rio Grande do Sul é o maior produtor de azeite do país, produzindo a maioria dos 65% do total em olivais localizados na região da Campanha gaúcha e na Serra do Sudeste. “Essa porcentagem deve aumentar ainda mais, tendo em vista que a oliveira atinge seu potencial máximo a partir do oitavo ano e a maioria no Estado ainda está no quinto ou sexto ano de produção”, projeta.

*Sob supervisão de Elder Ogliari

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *