Safra avança e arrozeiro retém grão

O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/USP) divulgou ontem levantamento indicando que, apesar do avanço na colheita, a oferta de arroz no mercado gaúcho continua retraída. Conforme o centro, orizicultores gaúchos alegam que os preços ofertados por beneficiadoras estariam abaixo do mínimo, de R$ 25,80 por saca de 50 kg. No entanto, entre 27 de março e 3 de abril, o Indicador do Arroz em Casca Esalq/BM&FBovespa (RS) subiu 1,62%, fechando a R$ 26,39/sc na terça-feira.
O presidente da Câmara Setorial Nacional do Arroz, Francisco Schardong, concorda que há retenção do cereal, mas alega que a venda ocorre porque alguns precisam saldar compromissos. "O arrozeiro que pode, deixa de vender porque o preço não deu a reagida necessária." Segundo ele, a expectativa é que, com o andamento dos mecanismos do governo, a cotação melhore. O vice-presidente do Sindarroz, Elio Coradini, diz que as indústrias pagam, no mínimo, R$ 25,80, não abaixo disso. "Algumas indústrias não estão conseguindo é o volume necessário." Para ele, o momento é de ajuste, pois a demanda também é menor na indústria.

Fonte: Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.