SAFRA 2018/2019 – Preços da soja não reagem no Brasil por culpa de Chicago e câmbio

Nesta terça, mais uma vez, enquanto Chicago opera em baixa, o dólar registra elevação. Se fechar assim, os preços no país podem permanecer inalterados

soja preço câmbio

Foto: Ascom Famasul

Tudo que se espera após colher a soja é que os preços para venda se aqueçam, mas isso não está acontecendo. A culpa é da oscilação entre as cotações na Bolsa de Chicago e no câmbio. Quando um sobe o outro cai, limitando a valorização da saca no Brasil. Foi exatamente isso que aconteceu na segunda-feira, dia 15, e por isso os preços não reagiram. Nesta terça, o movimento se repete e enquanto Chicago abriu em queda, o dólar opera em alta.

Chicago e câmbio na segunda

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços mais altos. Segundo a consultoria Safras & Mercado, o otimismo do mercado com a evolução das conversas entre China e Estados Unidos garantiu a sustentação das cotações.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com alta de 3,50 centavos de dólar ou 0,39%, a US$ 8,98 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 9,12 por bushel, com baixa de 3,75 centavos de dólar ou 0,41%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo fechou com alta de US$ 3,10 ou 1%, sendo negociada a US$ 311,00 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 28,81 centavos de dólar, com recuo de 0,14 centavo ou 0,48%.

O dólar comercial encerrou a sessão em baixa de 0,56%, negociado a R$ 3,8660 para a compra e a R$ 3,8680 para a venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 3,8920 e a mínima de R$ 3,8600

No Brasil

Essa movimentação oposta entre câmbio e Chicago fez com que os preços no Brasil não reagissem. Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 72,50. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 72,00 a saca. No porto de Rio Grande, preço estabilizou em R$ 77,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço ficou em R$ 72. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 77 para R$ 77,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 68,50. Em Dourados (MS), a cotação permaneceu em R$ 69,50. Em Rio Verde (GO), a saca seguiu em R$ 69.

Chicago e câmbio nesta terça

Os contratos da soja em grão registram preços mais baixos nas negociações da Bolsa de Chicago nesta terça, dia 16. As atenções seguem voltadas às negociações entre os Estados Unidos e
a China, cujo acordo segue indefinido, afira a Safras & Mercado.
Com isso, os contratos com vencimento em maio de 2019 operam cotados a US$ 8,97 por bushel, retração de 1,50 centavo de dólar por bushel ou 0,16%.

O dólar comercial abriu a sessão em alta de 0,69%, negociado a R$ 3,8930 para a compra e a R$ 3,8950 para a venda. A moeda norte-americana oscila entre a máxima de R$ 3,8960 e a mínima de R$ 3,8790.

Por Daniel Popov, com informações da Agência Safras

Fonte : Canal Rural

Compartilhe!