Só o tempo pode atrapalhar a safra de trigo no RS

Novos levantamentos confirmam área maior da cultura, com desenvolvimento positivo até agora

11/08/2020 – 19h43minAtualizada em 11/08/2020 – 19h43min
GISELE LOEBLEIN

Rudimar Comparsi de Morais / Arquivo pessoal

Na lavoura de Rudimar Comparsi de Morais, trigo está na fase de floração, etapa em que o cereal fica mais vulnerávelRudimar Comparsi de Morais / Arquivo pessoal

Os mais recentes levantamentos de safra corroboram o ganho de espaço do trigo no ciclo de inverno do Rio Grande do Sul. Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgados ontem apontam crescimento de 25% sobre o ano passado, com a área ficando em 920,6 mil hectares. Na estimativa do IBGE, o espaço da cultura está projetado em 924,03 mil hectares, alta de 21,4%.

Variações numéricas à parte, o consenso é da aposta do produtor gaúcho no cereal, depois da frustração com a colheita de verão. Cotações valorizadas são um estímulo extra, com o desenvolvimento das lavouras sendo, até o momento, favorecido pelo tempo.

– Se o clima não atrapalhar, teremos alta produtividade – confirma Rudimar Comparsi de Morais, produtor de São Luiz Gonzaga, na região das Missões, que estima produtividade de mais de 60 sacas por hectare.

O espaço destinado ao trigo na propriedade foi ampliado em 35% neste ano. Morais explica que o principal motivo para o cultivo é dar suporte à produção de verão, mantendo as lavouras “limpas”.

A safra do Estado começou a entrar na fase de floração, com avanço em relação aos 2% registrados pela Emater na última semana.

– Agora, começa a entrar na fase de maior vulnerabilidade. Quando ventos extremos, chuva em excesso ou calor podem afetar a produção – pontua Alencar Rugeri, diretor-técnico da Emater.

Em relação às outras culturas de inverno, como canola e cevada, a Conab trará no próximo mês informações detalhadas.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *