RURAL – Sinais de expansão da área de cultivo do trigo no RS

Projeções já feitas indicam que, atraídos pelas boas cotações, produtores gaúchos vão ampliar a aposta no cereal que começam a plantar neste mês

  • Diferentes cálculos apontam  crescimentos de 6% a 10% na extensão das lavouras

    Diferentes cálculos apontam crescimentos de 6% a 10% na extensão das lavouras | Foto: Biotrigo/Divulgação

    A Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (FecoAgro)  acredita que a expansão da área de cultivo do trigo neste ano será maior que a do prognóstico feito em fevereiro, de 10,5%, que elevava o total de 930 mil para 1,02 milhão de hectares. A expectativa deve-se à observação de que há grande  procura por sementes, por parte dos produtores, em todas as regiões produtivas do Estado. A projeção poderá ser confirmada na próxima semana, quando a  Rede Técnica Cooperativa (RTC), que também elaborou a estimativa do início do ano, deve concluir o levantamento das intenções de plantio.

    Outro indicativo de que os produtores gaúchos aumentarão a aposta no cereal  saiu do 8º Levantamento de Safras, divulgado quarta-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que apontou perspectiva de ampliação da área em 6%,  para 986 mil hectares

    “Não discutimos a metodologia usada pela Conab, mas o resultado depende de muitas variantes e nós acreditamos que a área vai superar 1 milhão de hectares, principalmente pela rentabilidade que o trigo está demonstrando”, diz o diretor-executivo da FecoAgro, Sérgio Feltraco.

    Conforme o Informativo Conjuntural da Emater, publicado ontem, os agricultores já iniciaram o manejo químico dos terrenos que pretendem cultivar. A janela de plantio para o trigo, segundo o zoneamento agroclimático, será aberta no próximo dia 20, com a exceção da região Celeiro, onde começou no dia 10.

    Na próxima segunda-feira, a Fecoagro divulga a nova projeção de custos para o plantio de trigo. Em março, a  primeira estimativa apontava alta de 21,77% no valor por hectare implantado em relação a 2020, ou seja, um custo próximo de R$ 3,6 mil. A cotação da saca do grão tem atingido patamares superiores a R$ 80,00 neste mês de maio.

    Nereida Vergara

    Fonte : Correio do Povo

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *