RURAL – Seapdr encontra agrotóxicos proibidos e descarte incorreto de embalagens vazias em Cacequi

Ação foi desencadeada depois de denúncia feita por um produtor rural que suspeitava que seu parreiral sofria com deriva de produtos hormonais

  • Fiscalização encontrou embalagens de agrotóxico sendo queimadas, o que é crime ambiental
  • Fiscalização encontrou embalagens de agrotóxico sendo queimadas, o que é crime ambiental | Foto: Divulgação Seapdr

    Fiscais da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) encontraram embalagens vazias do herbicida Agrimet 60 WP, que não tem registro no Brasil, e queimadas do Roundup WG na última sexta-feira, no município de Cacequi.

    As irregularidades foram descobertas durante fiscalização de lindeiros, depois de um produtor de uva local denunciar sinais de deriva de produtos hormonais, como o 2,4-D, no seu parreiral – o que foi confirmado pela Seapdr em laboratório. Ainda assim, não foi encontrado no local produtos hormonais. Este é o sexto ano que o mesmo produtor tem problemas por causa de agrotóxicos hormonais aplicados em culturas vizinhas.

    A investigação está em curso e foi encaminhada ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público Federal (por envolver contrabando), que deve enviar o assunto à Polícia Federal. A Seapdr aplicou multa de R$ 20 mil ao responsável pelas embalagens. O chefe da Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários da Seapdr, Rafael Friedrich de Lima, também acredita que o produtor deve despender financeiramente por causa de possíveis danos ambientais, que serão apurados pela Fepam e Ibama.

    Para Lima, o uso de produtos sem registro no Brasil é preocupante. "O material não passou pelo Ibama, Mapa nem Anvisa. Então não sabemos os seus efeitos no meio ambiente e na saúde humana”, esclarece, acrescentando que o descarte incorreto da embalagem polui o ambiente. “Esse produtor que atuou incorretamente é um potencial de risco muito grande, pois pode vir a usar produtos hormonais, ainda que com registro, de modo incorreto”, opina. A deriva de produtos hormonais reduz a produtividade da planta e, em casos mais severos, pode inclusive matá-la.

    Carolina Pastl* e Cíntia Marchi

    *Sob supervisão de Elder Ogliari

    Fonte: Correio do Povo

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *