RURAL – Salame produzido na Serra fatura premiação nacional

Agroindústria familiar Zampa Grigia obteve primeiro lugar no Prêmio Brasil Artesanal 2020 – Charcutaria, organizado pelo Sistema CNA/Senar

  • Bruno Gedoz, ao lado do pai, destaca matéria-prima como diferencial

    Bruno Gedoz, ao lado do pai, destaca matéria-prima como diferencial | Foto: Arquivo pessoal / CP

    O vencedor do Prêmio Brasil Artesanal 2020 – Charcutaria, organizado pelo Sistema CNA/Senar em parceria com a Academia da Charcutaria, foi o produtor Bruno Gedoz, 31 anos, da agroindústria familiar Zampa Grigia, localizada no município gaúcho de Carlos Barbosa, na Serra.

    No julgamento, foram avaliados a história e características do produto, como textura, aroma, sabor e nível de gordura. O anúncio foi feito pelo YouTube. “Nosso salame é feito a partir de uma carne mais consistente e tem coloração avermelhada e bom teor de marmoreio”, conta o premiado. “Mas o nosso diferencial é a matéria-prima.” A partir de um curso sobre produção de embutidos que o seu pai, Vitor Gedoz, participou, a família, que inclui sua mãe, Marinez Gedoz, resolveu trazer de volta à propriedade o suíno mouro, introduzido por portugueses e espanhóis na época da colonização do Brasil, e criado pelo bisavô de Bruno, Germano Canal.

    Depois de comprar um casal de animais, eles buscaram receitas dos seus antepassados, descendentes de italianos e suíços, adaptando-as aos protocolos da Vigilância Sanitária. “Tentamos imitar a maturação que nossos familiares faziam nos porões de casa na nossa agroindústria, em câmaras climatizadas”, detalha Bruno.
    Os produtos são vendidos em Carlos Barbosa (diretamente ao cliente) e também em estabelecimentos de Bento Gonçalves, Garibaldi e Porto Alegre. Com o prêmio, a família visa ampliar o negócio.

    *Estagiária sob supervisão de Danton Júnior

    Carolina Pastl*

    Fonte : Correio do Povo

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *