RURAL NOTÍCIASTRIGO – PROBLEMA CLIMÁTICO – Tempo seco prejudica trigo e plantio ainda não passa dos 10%

Fonte:Antonio Costa/AENPr

A essa altura de 2017, os trabalhos de cultivo já tinham atingido 60% da área. Outra consequência dessa demora é a possível queda de produtividade

A falta de umidade está afetando o plantio de trigo em São Paulo, até o momento menos de 10% dos 22 mil hectares destinados à cultura foram semeados, apontam dados da Câmara Setorial do Trigo do estado. Nesta mesma época do ano passado, 60% das lavouras já tinham sido plantadas. Além de atrasar os trabalhos de campo, o tempo mais seco pode prejudicar a produtividade da safra. São esperadas 320 mil toneladas.

O presidente da entidade, Maurício Ghiraldelli,  explica que existem duas consequências para esse cenário: “você não vai ter trigo disponível em setembro, quando normalmente tem, e ele sai da janela ideal, correndo risco de geadas na formação do grão e chuvas na colheita”. 

Ghiraldelli afirma que o baixo estoque interno e a possível queda na produção podem causar problemas de abastecimento de matéria-prima para as indústrias do setor. Ele estima que os moinhos estarão abastecidos até, no máximo, maio. Depois disso, será necessário importar. O cereal argentino, que vem sofrendo diversos aumentos desde sua colheita, em novembro e dezembro, deve ser o principal alvo dos negócios. “A valorização foi superior a 40% nesse período. A farinha argentina aumentou 50%. No Brasil, tivemos um impacto de 12% do dólar além do aumento do trigo, então, a partir de maio e junho, o repasse nos preços de farinha será inevitável”, conta.

Máquinas paradas e adubo estocado

O produtor rural Robson de Oliveira, em Tatuí (SP), havia reservado 160 hectares para o cultivo do cereal, mas o planejamento precisou ser modificado. Até agora, menos de 30% da área reservada foi plantada. O agricultor diz que não vai expandir os trabalhos com receio de comprometer a safra de soja. “Esse trigo é de ciclo longo! Mais ou menos, 145 a 150 dias. Entraria muito em outubro, atrapalhando a produção”, explica.

Na área de 25 hectares, Oliveira plantou o cereal há 30 dias, mas até agora apenas 30% das sementes germinaram, por isso há falhas nas linhas de plantio. Segundo o agricultor, a produtividade deve ser 40% menor do que o esperado. “Se chover vai conseguir ainda nascer , mas será difícil para fazer a adubação, porque não estará no período certo. Como vou aplicar fungicida na lavoura se terei uma planta mais formada e outra começando a nascer.  Tem um período certo para fazer fungicidas na planta”, diz.

  • Henrique Bighetti, de Tatuí (SP)
  • Fonte : Canal Rural