RURAL NOTÍCIAS MILHO – PRODUTIVIDADE – Com clima favorável, produtor de milho de SP está otimista com a safra

Depois de dois anos enfrentando quebras de produção por causa da seca, expectativa é de uma boa colheita da segunda safra do grão

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Preço do milho sobe 80% em um ano em Mato Grosso do Sul
Argentina eleva estimativa para área de milho
Grupo do PR vai importar 90 mil t de milho para frangos
Kátia Abreu propõe isenção de PIS/Cofins para importação de milho
Paraná revisa para cima área de milho segunda safra
Estoque interno baixo de milho eleva preço do grão
Os produtores de milho de São Paulo estão otimistas com os bons preços pagos pelo grão. Apesar das dificuldades dos últimos anos, a aposta no milho segunda safra continua no interior do estado. A expectativa é recuperar as perdas causadas pela estiagem nos últimos anos.

O agricultor Luiz Francisco Cruz nesta temporada espera alcançar a produtividade de até 100 sacas por hectare. Na propriedade de 400 hectares localizada em Conchal, no leste paulista, o milho apresenta bom desenvolvimento e o clima está ajudando. Cruz espera, finalmente, uma boa colheita. “Nós tivemos dois anos de seca. Eu cheguei a perder 150 mil sacas em 2014 com a seca. No ano passado, nós perdemos mais de 60 mil sacas”, lembra o produtor.

Como nem tudo é perfeito, o excesso de umidade aumenta os riscos de doenças causadas por fungos. Por isso, a aplicação de fungicida na lavoura foi feita há cerca de um mês, bem mais cedo que anos anteriores. Mas é melhor ter chuva do que falta. “A chuva é um dos principais fatores para a produtividade. Se já no plantio tiver problema de seca, a quebra chega a 50%. Do jeito que está indo, por enquanto, a perspectiva é otimista”, avalia o engenheiro agrônomo da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) Santo Augusto Pissinati Neto.

Milho: produtor está otimista com rentabilidade
Com a safra fluindo bem, o foco do produtor rural está de olho na remuneração. Luiz Francisco Cruz teve oferta de R$ 35,00 pela saca do milho que vai ser colhido em julho, mas ele ainda não fechou negócio. O objetivo é conseguir uma oferta melhor. Mesmo com o mercado aquecido, o produtor reclama que os custos de produção aumentaram em 30%. Por isso, a preocupação é com as próximas safras.

“E a próxima compra? Se a gente comprar o adubo com o dólar neste valor e vender o milho com um dólar baixo, vai ser uma grande queda para a agricultura. Eu estou preocupado com isso. Acho que muitos estão preocupados com isso”, diz o produtor rural.

Roberta Silveira, em Conchal (SP)Canal Rural

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *