RURAL NOTÍCIAS – FECHAMENTO DO MERCADO – Milho: início de 2017 pode ofertar bons preços

Fonte:Pixabay/divulgação

 

Ao contrário do começo de 2016, cotações mais altas serão menos frequentes, exigindo acompanhamento constante do agricultor

O mercado de milho no país segue apresentando lentidão e de acordo com a consultoria Safras & Mercado, os principais consumidores se mostram retraídos nesse momento, indicando estoques bem posicionados. Para conseguir uma boa remuneração neste cenário, o produtor vai ter que acompanhar de perto esse mercado. A tendência a partir de agora é de pequenas janelas com preços acima da média.

Para o analista de mercado Rafael Ribeiro, da Scot Consultoria, o início de 2017 deve ser uma dessas oportunidades de comercialização. A razão para isso é que as indústrias de proteína animal vão precisar recompor estoques.
No exterior, a Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou as operações desta quarta-feira, dia 30, perto da estabilidade. A valorização do dólar frente a outras moedas ajudou a pressionar o mercado, que chegou a registrar bons ganhos impulsionado pelo petróleo. O quadro de ampla oferta e menor demanda também pesou negativamente.
Milho na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)
Dezembro/16: 3,36 (=0,00 centavos)
Março/17: 3,48 (-0,50 centavos)

Milho no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)

Rio Grande do Sul: 42,00
Paraná: 34,00
Campinas (SP): 37,00
Mato Grosso: 27,00
Porto de Santos (SP): 33,00
Porto de Paranaguá (PR): 36,50
Soja 

O mercado brasileiro de soja teve uma quarta-feira de poucos negócios e de preços mais baixos nas principais praças do país, relata a Safras. Dólar e Chicago em baixa afastaram os negociadores do mercado.
Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta com queda de dois dígitos. Apesar da alta de mais de 8% no barril de petróleo, um movimento de realização de lucros determinou as perdas na última sessão do mês.
Soja na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)
Janeiro/17: 10,32 (-10,25 centavos)
Março/17: 10,41 (-9,75 centavos)
Soja no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)
Passo Fundo (RS): 79,50
Cascavel (PR): 75,00
Rondonópolis (MT): 69,00
Dourados (MS): 71,00
Porto de Paranaguá (PR): 78,50
Porto de Rio Grande (RS): 81,00
Café
O mercado físico brasileiro de café teve uma quarta-feira travada na comercialização, por conta das perdas nas bolsas de futuros do robusta em Londres e do arábica em Nova York. Os preços ficaram pouco alterados.
Café arábica em Nova York (centavos por libra-peso)
Dezembro/16: 147,50 (-2,40 pontos)
Maio/17: 152,90 (-2,45 pontos)
Café conilon (robusta) em Londres (US$ por tonelada)
Janeiro/17: 2026,00 (-20,00 dólares)
Março/17: 2020,00 (-15,00 dólares)
Café no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)
Arábica/bebida boa – Sul de MG: 550-560
Arábica/bebida boa – Cerrado de MG: 555-565
Arábica/rio tipo 7 – Zona da Mata de MG: 470-475
Conilon/tipo 7 – Vitória (ES): 475-478
Dólar e Bovespa
O dólar comercial fechou em queda de 0,22%, cotado em R$ 3,387. Já o índice Bovespa subiu 1,51%, aos 61.906 pontos.

  • Rikardy Tooge, com informações da Safras & Mercado
  • Fonte : Canal Rural

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.