RURAL NOTÍCIAS – 87% DA ÁREA SEM CADASTRAMENTO – Rio Grande do Sul quer mais prazo para o Cadastro Ambiental Rural

Entidades que representam o produtor rural no estado vão pedir a prorrogação da data final de preenchimento em abril. Tema foi tratado em audiência pública na Expoagro Afubra

VÍDEOS RELACIONADOS
RS: deputados pedem prorrogação do CAR
NOTÍCIAS RELACIONADAS
Agricultura familiar tem espaço ampliado na Expoagro Afubra
Embrapa leva novidades para Expoagro Afubra
Autoridades que representam os produtores rurais do Rio Grande do Sul vão pedir a prorrogação do prazo para preenchimento do Cadastro Ambiental Rural (CAR). Até agora, pouco mais de 13% da área do estado foi credenciada. O tema foi discutido em audiência pública nesta segunda-feira, dia 21, na abertura da 16ª Expoagro Afubra, feira voltada à agricultura familiar, em Rio Pardo (RS).

O deputado estadual Elton Weber (PSB-RS) afirma que, em abril, irá levar ao Ministério do Meio Ambiente um documento para tentar sensibilizar o governo a ampliar o prazo. Segundo ele, as entidades ligadas ao agronegócio gaúcho também querem avaliar se é necessário melhorar a estrutura de cadastramento.

RS: deputados pedem prorrogação do CAR
De acordo com Weber, o Rio Grande do Sul tem peculiaridades que ajudam a entender por que é o estado com o mais baixo percentual de registro ambiental. Entre esses fatores, estariam a questão do bioma Pampa e o fato de possuir o maior número de propriedades do país.

A recomendação para os produtores que estão na área do Pampa é a de fazer o cadastramento e, se houver dúvidas e não quiser entregar ainda, ao menos se familiarizar com o documento. “Para a metade norte (do estado), sem dúvida o produtor deve fazer o cadastro e entregar”, afirma o assessor técnico da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul , Ivo Lessa.

Expoagro Afubra

A expectativa dos organizadores é de que mais de 80 mil pessoas visitem a 16ª edição da Expoagro Afubra. A feira abriga cerca de 400 expositores de insumos, agroindústria familiar, pecuária, máquinas e implementos agrícolas.

Na última edição, o volume total de negócios somou R$ 48 milhões. A projeção agora é de um faturamento menor, em torno de R$ 40 milhões, devido à crise no setor de equipamentos agropecuários.

A tendência de redução da comercialização já viria sendo apontada por eventos maiores, de acordo com o coordenador da Expoagro, Marcos Dornelles. “O que puxa os números nas feiras são as máquinas”, diz ele, que acredita, no entanto, que o pavilhão da agricultura do evento em Rio Pardo terá resultados melhores que os do ano passado.

Bruna Essig, de Rio Pardo (RS)Canal Rural

Fonte: Canal Rural

Compartilhe!