RURAL – Estiagem preocupa produtores rurais do Vale do Rio Pardo

Perdas podem ser maiores que da safra passada se as chuvas não voltarem até janeiro

Otto Tesche

  • Folhas murchas mostram lavoura com dificuldade para crescer por falta de água

    Folhas murchas mostram lavoura com dificuldade para crescer por falta de água | Foto: Divulgação

    Os produtores rurais do Vale do Rio Pardo temem sofrer perdas maiores que as da safra passada caso as  chuvas não voltem ao padrão normal ainda em janeiro. O alerta sobre os prejuízos causados pela estiagem ao agronegócio e a falta de água para o consumo humano já foi levado por entidades do setor a lideranças políticas da região e ao secretário da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Fernando Schwanke.

    As chuvas nas últimas semanas foram irregulares em toda a região e, onde ocorreram, tiveram  baixa intensidade. Isso prejudicou o plantio e o desenvolvimento das principais culturas agrícolas, especialmente a soja e o milho, além das pastagens.

    O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária Gaúcha, deputado estadual Edson Brum, entende que os relatos dos produtores evidenciam a gravidade da situação enfrentada pelos agricultores e ressalta que eles “já amargam prejuízos significativos”.

    Para Brum,  falta ao Rio Grande do Sul uma política contínua para tratar o problema de forma preventiva. “Precisamos derrubar as barreiras que impossibilitam a implantação de programas de irrigação no Estado e buscar recursos que as viabilizem”, aponta. “Em 2020, conseguimos R$ 55 milhões para a perfuração de poços artesianos e abertura de açudes, mas esbarramos na burocracia e até agora as obras não iniciaram em grande parte dos municípios. Isso é inaceitável”, complementa.

    Brum observou  que a análise da Emater que indica que chuvas recentes favoreceram lavouras de soja e milho em zonas do Noroeste  não se aplica às regiões Central, Carbonífera, Costa Doce e Vales do Rio Pardo e Taquari. Ontem havia áreas pedregosas do fundo do rio Pardo visíveis.

    Fonte : Correio do Povo

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *