RURAL – Envelopes misteriosos têm fungos, ácaros e bactérias

Constatação é do Ministério da Agricultura, que está analisando os 258 pacotes de sementes que chegaram ao país como encomendas não feitas

  • Orientação é para entregar as sementes não solicitadas nas inspetorias ou escritórios de defesa agropecuária locais.

    Orientação é para entregar as sementes não solicitadas nas inspetorias ou escritórios de defesa agropecuária locais. | Foto: Divulgação/Seapdr

    Fungos, bactérias, ácaros e possibilidade de pragas quarentenárias (que não existem no Brasil), danosas aos cultivos agrícolas mundiais, foram detectados nos pacotes de sementes que chegaram ao país sem serem solicitados, vindos supostamente de quatro países asiáticos. De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), José Guilherme Leal, que ontem divulgou as informações à imprensa, 258 pacotes já foram identificados em 24 estados e no Distrito Federal. No Rio Grande do Sul, 17 pacotes foram entregues pela população à Secretaria da Agricultura.

    Segundo Leal, as análises das sementes já feitas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Goiás, referência no país, apontaram a presença de ácaro vivo em uma amostra; três fungos diferentes em 25 amostras; bactéria em duas amostras; e possibilidade de pragas quarentenárias (como plantas daninhas) em quatro amostras. Em 30 dias deve haver um detalhamento maior desses resultados.

    Por enquanto, o Mapa informou que a investigação está ocorrendo apenas na esfera administrativa. Após a coleta de todas as informações, serão consultadas autoridades fitossanitárias dos países que supostamente fizeram o envio do material. Leal destacou que “ainda não há elementos para afirmar se é uma ação intencional” para introduzir pragas no Brasil.

    O chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria da Agricultura do Estado, Ricardo Felicetti, orienta quem receber pacotes não encomendados a entregá-los à inspetoria ou escritório de Defesa Agropecuária. Ele explica que o pacote não deve ser aberto ou descartado no lixo, nem o material ou as sementes devem ser cultivados ou depositados no solo sob nenhuma hipótese, por conta do risco de atingirem o meio ambiente e áreas agrícolas.

    Mais informações podem ser obtidas pelos telefones da divisão de Defesa Sanitária Vegetal, (51) 3288-6289 e 3288-6294, pelo WhatsApp (51) 98412-9961 ou o e-mail defesavegetal@agricultura.rs.gov.br.

    Cíntia Marchi

    Fonte : Correio do Povo

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *