RURAL – Colheita da melancia se aproxima do final com boa produtividade

Apesar de forte calor ter provocado queimaduras na casca dos frutos em algumas lavouras, volume colhido e qualidade se sobressaíram

Cíntia Marchi

  • Colheita já está 95% concluída no município de Arroio dos Ratos

    Colheita já está 95% concluída no município de Arroio dos Ratos | Foto: Jamir Fortunato Dalenogare / Divulgação / CP

    Maior produtor de melancia do país, o Rio Grande do Sul encaminha neste momento o final da colheita da safra 2020/2021. De forma geral, as plantações apresentaram boa produtividade e frutos de boa qualidade. O rendimento, no entanto, varia entre as regiões dependendo das condições climáticas. Houve casos em que o forte calor e o baixo volume de chuvas ocasionaram a “queimadura” da casca da melancia, depreciando visualmente o produto e prejudicando a comercialização.

    Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP), em janeiro, os produtores gaúchos passam a ser os principais abastecedores de melancia do Sudeste e Sul do País, já que a safra principal de São Paulo já foi encerrada. Levantamento da Emater, divulgado na semana passada, apontou que o preço médio do quilo de melancia tem girado em torno de R$ 0,30 a R$ 0,40, em função da alta oferta do produto e da aceleração na maturação dos frutos. No início da colheita a venda era feita a valores entre R$ 0,70 e R$ 0,95 o quilo.

    O produtor de melancia de Tabaí, Volnei Souza da Silva, conta que comercializou a safra ao preço que variou de R$ 0,40 a R$ 1 por quilo. Disse que o valor foi remunerador, apesar da cotação alta dos fertilizantes. Neste ciclo, conseguiu colher cerca de 30 toneladas por hectare, uma produtividade que considerou “boa”. Para evitar problemas como queimaduras nos frutos, tem plantado as melancias embaixo das sombras dos eucaliptos. “Este sombreamento ajudou a diminuir as perdas que geralmente aconteciam”, explica.

    Em Arroio dos Ratos, onde a cultura ocupa cerca de 400 hectares, o chefe do Escritório Municipal da Emater, Jamir Fortunato Dalenogare, diz que a colheita da melancia está 95% concluída e que os frutos apresentaram excelente produtividade, com sabor e doçura que se sobressaíram nesta safra. Comenta que os produtores que melhoraram manejo e investiram em irrigação colheram acima das 60 toneladas por hectare, mas que a média geral do município ficou em 40 toneladas, acima da média dos últimos anos, de 30 toneladas por hectare. O bom rendimento se deu mesmo com o sol forte tendo afetado cerca de 5% dos frutos, no final de dezembro, ocasionando perdas expressivas em algumas lavouras.

    Fonte : Correio do Povo

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *