RS APOIARÁ COMPRA DE MÁQUINA PARA TAMBOS

Para ampliar e qualificar a produção leiteira gaúcha, o Estado planeja implementar um programa de subvenção destinado a pecuaristas familiares que adquirirem ordenhadeiras e resfriadores nos próximos quatro anos. Ontem, reunião da Câmara Setorial do Leite definiu os últimos detalhes do programa Mais Leite de Qualidade, que, após quatro meses de trabalho, será enviado para análise do governador Tarso Genro. O plano prevê o desembolso de R$ 78 milhões nos próximos dez anos, o que permitirá atingir 44 mil produtores. A ideia é arcar com a última parcela dos financiamentos tomados via Pronaf (dez anos para pagamento, três de carência e juro de 2%). O governo ainda poderá assumir metade do valor dos equipamentos adquiridos (bônus de até R$ 5 mil) para aqueles que comprovarem dificuldade. Os critérios, contudo, ainda não estão definidos. Segundo o secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, se, após um ano, houver incremento de 50 litros/dia em cada propriedade, o Estado irá arrecadar, em uma década, R$ 280 milhões a mais em ICMS. ‘O produtor tende a não parar quieto enquanto não encher o resfriador.’

O presidente da Fetag, Elton Weber, elogiou a ideia do incentivo, que, segundo ele, permite a adequação à legislação vigente, mas ponderou: ‘Só a máquina não resolve. É preciso que esse benefício venha acompanhado de orientação técnica’.

No encontro de ontem, a câmara ainda aprovou a criação do Instituto Gaúcho do Leite, de caráter privado e orçamento previsto em R$ 5 milhões, o qual teria o Fundesa e incentivos fiscais do Estado para novos produtos como origem.

Fonte: Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.