Robusta supera R$ 500 a saca

Alta nos preços está atrelada à baixa oferta da variedade de café no mercado nacional

O preço do café robusta (conilon) continua a bater recorde praticamente diário desde 18 de agosto deste ano e já supera R$ 500 a saca de 60 kg. Na terça-feira, 18, o produto foi cotado a R$ 507,09 a saca, para o tipo 6, peneira 13 acima, a retirar no Espírito Santo, principal Estado produtor. Trata-se do maior valor real da série iniciada em novembro de 2001 pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP), atualizado pelo IGP-DI de setembro passado.

Os pesquisadores do Cepea informam que o movimento de alta nos preços do robusta é observado desde março deste ano e está atrelado à baixa oferta da variedade no mercado nacional. A safra 2016/17 de café foi prejudicada pelo clima no Espírito Santo e em Rondônia, outro importante produtor. "A expectativa é que a próxima temporada (2017/18) também registrará baixa produção", alertam os pesquisadores, em comunicado.

Segundo o Cepea, a seca e a falta de água para irrigação fizeram com que muitos cafeicultores do Espírito Santo arrancassem os pés de cafés, mas alguns produtores já se mostram interessados em renovar parte dos cafezais nos próximos meses, caso ocorram chuvas volumosas. Já em Rondônia, muitos produtores também arrancaram os pés, mas a renovação não deve ocorrer, já que cafeicultores estão frustrados com a cultura.

Com as recentes fortes altas do robusta, o diferencial de preço do robusta em relação ao arábica (cerca de 80% da produção nacional) é o menor já verificado pelo Cepea, considerando toda a série história. A diferença entre os valores das duas variedades de café foi de apenas R$ 8,07/saca.

ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte:  Portal DBO