Risco de mais embargos ao frango cresce

Depois que a União Europeia anunciou embargos às importações de carne de frango de 20 plantas de frigoríficos de carnes do Brasil (19 de carne de frango e uma de carne bovina processada), é a vez de Coreia do Sul e África do Sul ameaçarem erguer barreiras semelhantes, apurou o Valor.

Ocorre que produtores de frango coreanos e sul-africanos começaram a pressionar seus respectivos governos a tomarem a mesma providência dos europeus. Em reação, os governos desses países enviaram sinais ao Ministério da Agricultura do Brasil que de fato poderão deslistar as 20 unidades.

Possíveis novos embargos a frigoríficos brasileiros preocupam o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e sua equipe. Das 20 unidades embargadas pelos europeus, 12 pertencem à BRF, maior exportadora de carne de frango do país. A companhia é a mais afetada porque foi alvo da Operação Trapaça, deflagrada em março pela Polícia Federal e que investiga supostas fraudes envolvendo a BRF e laboratórios na análise de salmonela em carne de frango voltada à exportação.

Coreia do Sul e África do Sul estão em um seleto grupo de 12 países que fazem duras exigências para os testes com a bactéria salmonela em lotes do produto. Juntos, coreanos e sul-africanos gastaram mais de US$ 400 milhões para importar cerca de 430 mil toneladas de carne de frango do Brasil no ano passado.

O volume somado dos dois países representou cerca de 10% das exportações brasileiras de carne de frango, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura. Em 2017, o Brasil obteve uma receita de US$ 7,1 bilhões com a venda de 4,2 milhões de toneladas do produto. O país é o maior exportador de carne de frango do mundo. O maior importador é a Arábia Saudita.

Por Cristiano Zaia | De Brasília

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *