Rio+20: apesar de esforços brasileiros, texto final é adiado

Milhares de pessoas passaram pelo Riocentro, na Barra da Tijuca, para participar de atividades da Rio 20. Foto: Mauro Pimentel/Terra

Milhares de pessoas passaram pelo Riocentro, na Barra da Tijuca, para participar de atividades da Rio 20
Foto: Mauro Pimentel/Terra

ANGELA CHAGAS Direto do Rio de Janeiro

Apesar dos esforços da delegação brasileira para concluir o documento final da Rio+20 ainda na madrugada desta terça-feira, as negociações sobre o texto foram adiadas para a manhã. As delegações receberão cópias de um rascunho apresentado pelo Brasil, que será analisado em uma plenária com os 193 países, que discutirão as propostas.

Durante a madrugada, o comissário da União Europeia para o Meio Ambiente, Janez Poto?nik, pediu tempo para discutir as propostas, em nome dos países do bloco. Em nota à imprensa, a Europa defendeu que o debate fosse levado à reunião dos chefes de Estado, de governo e ministros, que começa na quarta-feira.

"Nós apreciamos o engajamento dos nossos anfitriões brasileiros em facilitar as negociações no nível técnico e ficamos agradecidos por isso. Mas acreditamos que, nesse estágio final, nossos colegas ministros estão em melhor posição para alcançar um acordo político com a substância necessária para levar o mundo rumo a um futuro sustentável", disse o bloco em comunicado.

Após deixar temporariamente as discussões no pavilhão três do Riocentro, o diplomata evitou criticar o documento apresentado pelo Brasil, que havia sido classificado como fraco. "Não tivemos acesso a todo o texto, apenas a parte deles. Então não podemos afirmar nada agora", afirmou o representante da União Europeia.

Por volta da meia-noite, o Brasil deu início à plenária para aprovar o documento final. Segundo o embaixador Luiz Alberto Figueiredo não havia a possibilidade de as negociações serem adiadas. "Podemos ir até a madrugada, mas não vamos deixar nada para amanhã. Estamos conseguindo avançar bastante no texto, vencendo os obstáculos que ainda restavam", disse mais cedo.

Rio+20
Vinte anos após a Eco92, o Rio de Janeiro volta a receber governantes e sociedade civil de diversos países para discutir planos e ações para o futuro do planeta. A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que ocorre até o dia 22 de junho na cidade, deverá contribuir para a definição de uma agenda comum sobre o meio ambiente nas próximas décadas, com foco principal na economia verde e na erradicação da pobreza.

Composta por três momentos, a Rio+20 vai até o dia 15 com foco principal na discussão entre representantes governamentais sobre os documentos que posteriormente serão convencionados na Conferência. A partir do dia 16 e até 19 de junho, serão programados eventos com a sociedade civil. Já de 20 a 22 ocorrerá o Segmento de Alto Nível, para o qual é esperada a presença de diversos chefes de Estado e de governo dos países-membros das Nações Unidas.

Apesar dos esforços do secretário-geral da ONU Ban Ki-moon, vários líderes mundiais não estarão presentes, como o presidente americano Barack Obama, a chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro ministro britânico David Cameron. Ainda assim, o governo brasileiro aposta em uma agenda fortalecida após o encontro.

Fonte: Terra