Rio Grande do Sul tem perdas confirmadas nas safras de soja e arroz devido à estiagem

Início das colheitas de duas lavouras importantes para Estado concretiza prejuízos antes estimados

Roberto Witter

Foto: Roberto Witter / Agência RBS

Plantas secas baixaram a produção do agricultor Jandir Bersch

Com a colheita de cerca de 5% da safra de soja e 20% da dearroz no Rio Grande do Sul, perdas estimadas começam a se materializar. É o efeito da seca durante o desenvolvimento dos grãos.

A estimativa é de produzir 1,5 milhão de toneladas a menos dearroz do que na safra anterior e de três milhões de toneladas a menos de soja em relação à expectativa inicial.

No noroeste do Estado, maior região produtora de grãos, a colheita da soja ainda ocorre em pontos isolados. A falta de chuva causou diferenças no ciclo da planta. Além disso, o cultivo escalonado também contribuiu para a falta de uniformidade nas lavouras.

– Começamos a colheita na semana passada, porque tem grão que apurou mais cedo devido ao calor. Em compensação, tem partes que só vão ser colhidas em 30 dias – conta o agricultor Jandir Bersch, do município de Cruz Alta (RS).

Nos 500 hectares em que Bersch planta com os dois irmãos e o pai, o prejuízo é desolador. A produtividade média é de sete sacos por hectare, com pico de 10 sacos em uma pequena área. A chuva recente pouco ajuda.

A estimativa do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) de baixo rendimento do grão está se confirmando. A produtividade, que estava em oito toneladas por hectare no ano passado, agora está em 7,7 toneladas por hectare. Menos arroz no mercado deve resultar em alta de preço.

Com 420 hectares plantados na fronteira oeste do RS, o produtor Leomar Bertholdt está sentindo a diferença. A produtividade que chegava a nove toneladas por hectare deve ficar em torno de 7,5 toneladas por hectare.

– A gente que se criou na lavoura já sabe que isso ia acontecer – concluiu Bertholdt.

Fonte: Ruralbr | Marina Lopes e Roberto Witter | marina.lopes@zerohora.com.br e roberto.witter@zerohora.com.br | ZERO HORA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.