Rigor a micotoxinas do trigo em debate

A cadeia nacional do trigo estará reunida hoje na Anvisa, em Brasília, para solicitar a prorrogação da entrada em vigor da resolução n 7/2011, que determina limites máximos tolerados para micotoxinas em grãos e diversos subprodutos, como a farinha de trigo. De acordo com Flávio Turra, presidente da Câmara Setorial de Culturas de Inverno do Mapa, que conta com representação de 30 órgãos e entidades ligados aos setores privado e público, será proposta a extensão, até 2016, dos limites para a micotoxina Deoxinivalenol (DON) que entram em vigor em janeiro de 2014.

Segundo o superintendente da Fecoagro, Tarcísio Minetto, o setor considera a medida importante para a segurança alimentar, mas reivindica mais tempo para que a Embrapa Trigo possa desenvolver estudos que reflitam a realidade brasileira. ‘Eles (Anvisa) adotaram o sistema europeu, temos que desenvolver um estudo nosso, do Brasil’, defendeu o executivo. Pela proposta defendida pela Câmara Setorial, o assunto seria rediscutido em 2016.

Até lá, a intenção é desenvolver um plano de monitoramento da safra quanto aos níveis de DON. O cronograma prevê que este trabalho poderia começar em junho de 2014 após aprovação do projeto de monitoramento pelo Ministério da Agricultura, previsto para dezembro deste ano no cronograma que será apresentado.

A GIBERELA

A giberela do trigo é uma doença importante nas principais regiões produtoras do mundo e seus resíduos permanecem mesmo após a industrialização do grão e podem afetar o consumidor.

É uma doença que incide na espiga, tem como danos diretos a redução do peso de grãos e contaminação desses com micotoxinas, como a Deoxinivalenol (DON), produzidas pelo fungo na colonização dos grãos.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *