Reuniões paralelas

Cerca de 20 mil pessoas são esperadas, a partir de hoje, na Cúpula dos Povos, formada por entidades não governamentais, movimentos sociais e culturais, que realizam eventos paralelos à Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20, no Aterro do Flamengo, na Zona Sul da cidade. O grupo vai coletar, até o dia 22, propostas alternativas para serem apresentadas à reunião oficial, que acontece no Riocentro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Na programação de hoje, especialistas internacionais, como a ativista ambiental indiana Vandana Shiva, uma das fundadoras da Navdanya-Research Foundation for Science Technology & Ecology, e lideranças camponesas realizam o seminário internacional Tempo de Agir por Mudanças Radicais: AGRICULTURA FAMILIAR Camponesa e Agroecologia como Alternativa à Crise do Sistema Agroalimentar Industrial".

Além de debates, que terão como ponto central temas não abordados pelos relatórios preliminares da ONU, haverá pelo menos 800 atividades já programadas, como a Marcha da Mulher, que acontece na segunda-feira. Outra movimentação, que será realizada no dia 20, pedirá justiça social e ambiental. Além disso, haverá discussões variadas, por exemplo a liberação do uso de maconha, além de contar com a presença de personalidades, como a ex-senadora Marina Silva, que se candidatou à presidente da República pelo PV, em 2010.

Os organizadores prepararam cerca de 40 tendas no Aterro do Flamengo, para concentrar todas as atividades paralelas à Rio +20, os movimentos sociais e os representantes de organizações de outros países. Marina Silva comentou que o local deverá ser transformado em uma espécie de Praça Tahrir da crise ambiental no mundo, se referindo ao lugar onde os egípcios começaram os movimentos para derrubar o poder no país.

O ambientalista, jornalista, diretor teatral e multiartista Ary Pára-Raios será homenageado pela Cúpula dos Povos. Uma das tendas que servirão para atividades e plenárias da sociedade civil levará seu nome. Em Brasília, ele ficou conhecido por produzir várias peças e ser pioneiro ao fazer um jornal voltado para organizações não governamentais ambientais. (EL)

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE – DF