Renegociação de dívidas travada

Vinte dias depois de autorizada pelo Conselho Monetário Nacional, a renegociação das dívidas de produtores gaúchos de soja, milho e trigo atingidos pelas secas de 2005 e 2012 ainda não decolou. A previsão era que a repactuação começasse uma semana após o aval.

De acordo com a Superintendência do Banco do Brasil (BB), o atraso se deve ao fato de as agências não estarem instruídas sobre a resolução n 472. Além disso, o sistema de informática do banco estaria passando por adaptações para atender à demanda. Apesar de não cravar uma data, a superintendência prevê que, nos próximos dias, as entidades de representação agrícola serão comunicadas para que repassem a informação ao campo. O prazo para renegociar vai até dezembro. Após contato com o diretor de Crédito Rural do BB, Clênio Teribele, o deputado federal Luis Carlos Heinze obteve a informação de que as instruções chegaram ontem às agências.

O presidente da Comissão de Crédito Rural da Farsul, Elmar Konrad, acredita que o ‘esforço do governo’ pela renegociação não se refletirá na safra que se avizinha. Para ele, não há tempo hábil para mudar a situação de inadimplência, o que impedirá o acesso ao custeio. ‘Eles encaminham o acordo até dezembro, mas a repactuação acontece só lá em abril.’

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *