Renegociação da dívida

Além do pedido de reavaliar o preço pago pela unidade do frango, os criadores do Sul e do Norte de Santa Catarina discutem com os bancos a renegociação de empréstimos feitos para investimentos nos aviários.

De acordo com o presidente da Associação dos Avicultores do Sul Catarinense, 80% dos produtores da região Sul estão endividados, um somatório que ultrapassa os R$ 150 milhões.
No Norte, em Jaraguá do Sul, o fechamento de 19 aviários da Seara em outubro do ano passado resultou em uma dívida de R$ 2,4 milhões na principal agência do Banco do Brasil, que forneceu o Crédito Rural aos produtores.
Os criadores pedem uma renegociação dos empréstimos bancários sem a aplicação de juros, combinada ao aumento no valor pago à Produção. Segundo o produtor Erikson Linos Wantowski, de Rio Negrinho, entre 65% e 70% do faturamento bruto dos criadores é destinado para o pagamento dos investimentos feitos no aviário.
O gerente de mercado de Agronegócio do Banco do Brasil em SC, Marcelo Santos do Canto, ressalta que a instituição analisa individualmente os pedidos dos produtores rurais para prorrogar o prazo da dívida, com as mesmas taxas de juros. De acordo com Canto, menos de 300 produtores são atendidos pelo BB no Sul do Estado e poucos conseguiram a prorrogação da dívida. Já uma renegociação, como sugere a associação dos avicultores, caberia ao Banco Central autorizar.
Segundo o secretário da Agricultura e da Pesca de SC, João Rodrigues, o poder público não pode intervir para ajudar financeiramente os avicultores. A participação da secretaria, neste caso, é aproximar a JBS e o grupo de produtores nas Negociações. Na opinião de Rodrigues, a crise deve acabar em breve.
– É preciso que a empresa aja rapidamente, remunere bem o produtor, que vai respirar melhor.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE