Regularização pode demorar 30 anos no Estado

Durante o lançamento do Plano safra 2012/2013 da AGRICULTURA FAMILIAR o governo de Mato Grosso entregou cinco títulos de regularização fundiária. Alguns aguardavam há mais de 30 anos o título de sua terra. Na oportunidade, o governador Silval Barbosa enfatizou buscar soluções para a questão e ajudar o pequeno produtor. "Este é apenas um de nossos desafios em Mato Grosso. Hoje, os produtores, em geral, do Estado querem condições de produzir, escoar e comercializar tornando-se competitivo aos demais mercados", disse o governador Silval Barbosa.

Com 22,5 hectares no distrito de Acorizal, Miguel de Almeida foi um dos contemplados pelo título da terra. "Há mais de 30 anos esperava isso Agora posso pensar em adquirir financiamento para ampliar minha produção de mandioca, milho e cana-de-açúcar".

Sebastião Ferreira, 64 anos, é produtor da Gleba Taquará e possui 15,7 hectares. Com o título em mãos espera aumentar a produção e dar continuidade à atividade que aprendeu com o pai.

Para o secretário de e Desenvolvimento Rural e AGRICULTURA FAMILIAR, Carlos Milhomen, hoje o maior desafio do setor da AGRICULTURA FAMILIAR é a regularização fundiária. "Sem o título da terra o produtor não consegue ter acesso aos recursos. Hoje, temos cerca de 90 mil agricultores da reforma agrária, por exemplo, no qual aproximadamente 90% não possuem título de suas terras".

Na AGRICULTURA FAMILIAR são 140 mil produtores. Conforme o secretário de Políticas Agrícolas da Federação dos Trabalhadores da Agricultura de Mato Grosso (Fetagri-MT), Nilton Macedo, não chega a 40% o número de assentados regulares no Estado e com acesso aos recursos do PRONAF.

Fonte: FOLHA DO ESTADO – MT | ECONOMIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *