Recorde nas exportações das cooperativas do país no 1º trimestre deste ano

As exportações das cooperativas brasileiras alcançaram o recorde de US$ 1,409 bilhão no primeiro trimestre deste ano, 9% mais que em igual intervalo de 2012, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). As importações caíram 10,5%, para US$ 48,9 milhões, e, assim, o superávit do segmento aumentou 9,9%, para US$ 1,36 bilhão.

O açúcar refinado, carro-chefe da paulista Copersucar, liderou os embarques entre janeiro e março. No total, as vendas do produto ao exterior renderam US$ 369,3 milhões, ou 26,2% do total exportado pelas cooperativas. Em seguida aparece o café em grão, cujas exportações, puxadas pela mineira Cooxupé, foram de US$ 158,6 milhões.

Outros destaques da pauta das cooperativas no primeiro trimestre foram carne de frango (US$ 145,2 milhões), etanol (US$ 137,9 milhões), açúcar bruto (US$ 133,1 milhões), farelo de soja (US$ 99,3 milhões); milho (US$ 91,1 milhões) e carne suína congelada (US$ 49,9 milhões).

Conforme os dados do MDIC, as exportações de produtos de cooperativas brasileiras chegaram a 120 países nos três primeiros meses deste ano, ante os 118 de igual intervalo de 2012. Os Emirados Árabes Unidos foram o principal destino das vendas, com US$ 174,7 milhões, ou 12,4% do total. Estados Unidos, com US$ 135,4 milhões, e China, com US$ 107,2 milhões, completaram o "pódio" dos principais destinos no período.

Os dados do MDIC mostram que 99 cooperativas de 17 Estados do país realizaram exportações no primeiro trimestre, mesmo número registrado de janeiro a março do ano passado.

Os embarques das cooperativas de São Paulo alcançaram US$ 616,2 milhões, ou 43,7% do total, seguidos pelas vendas dos grupos do Paraná (US$ 347,3 milhões), de Minas Gerais (US$ 147,1 milhões), e de Santa Catarina (US$ 86,8 milhões). As cooperativas paranaense – a maior delas é a Coamo, de Campo Mourão, se destacam pelos embarques de carnes suína, de frango e de grãos de derivados, ao passo que as catarinenses, lideradas pela Coopercentral Aurora, são fortes em carnes.

As exportações das cooperativas no primeiro trimestre despachadas por 32 portos, aeroportos e rodovias. No mesmo período de 2012, foram 30 pontos. O porto de Santos, em São Paulo, registrou a maior receita, com US$ 821,4 milhões, ou 58,3% do total. Em seguida vieram Paranaguá, no Paraná (US$ 392 milhões), e Itajaí, em Santa Catarina (US$ 96,5 milhões).

No outro prato da balança das cooperativas, as importações caíram 10,5% na comparação entre os primeiros trimestres de 2012 1 2013, para US$ 48,9 milhões. Os principais produtos adquiridos foram insumos para fertilizantes (ureia e potássio) e maquinário em geral. A ureia representou 11,7% do total importado, ou US$ 5,7 milhões. Máquinas e aparelhos para preparação de carnes ficaram em segundo, com US$ 5,1 milhões.

Cooperativas de dez Estados do país realizaram importações entre janeiro e março deste ano, ante nove no início de 2012. Na relação dos principais vendedores de produtos para as cooperativas, a Rússia ficou em primeiro lugar, com US$ 5,3 milhões, ou 10,9% do total. As compras desde a Bélgica atingiram US$ 5,3 milhões.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3108100/recorde-nas-exportacoes-das-cooperativas-do-pais-no-1#ixzz2S8m7zAAB

Fonte: Valor | Por Tarso Veloso | De Brasília

Compartilhe!