Reciprocidade não é retaliação

A Argentina está mal acostumada. A qualquer momento, por razões nem sempre claras, suspende ou dificulta as importações de produtos brasileiros. Já fez isso com sapatos, geladeiras, máquinas agrícolas, carne de frango… a lista é longa. Agora, aconteceu com a carne suína. O vizinho atropela as regras do Mercosul sem a menor cerimônia e geralmente fica impune. O Itamaraty tem sido condescendente com as estripulias argentinas. O governo Kirchner não pode barrar produtos brasileiros sem um bom motivo. No caso da carne suína, não há nenhuma restrição de ordem sanitária, por exemplo. A barreira é protecionismo comercial puro. O Brasil tem de jogar duro com a Argentina. Senão vejamos: bastou o governo brasileiro implementar um licenciamento não automático para cerca de dez produtos perecíveis importados da Argentina para que, em seguida, o vizinho suspendesse as restrições impostas à carne suína. O caminho é esse. Reciprocidade não é retaliação.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *