Receita das exportações do campo caiu 26% em outubro, para US$ 5,7 bi

Influenciada mais uma vez pelo câmbio, a receita das exportações do agronegócio brasileiro caiu 26,2% em outubro na comparação com o mesmo período do ano passado, para US$ 5,7 bilhões, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic) compilados pelo Ministério da Agricultura.

As importações do setor também recuaram na comparação – 14,3%, para US$ 1,2 bilhão -, e como resultado o superávit do campo foi positivo em US$ 4,5 bilhões em outubro, redução de 32,5% na comparação com o superávit do mesmo mês do ano passado.

No caso do chamado "complexo soja" (inclui grão, farelo e óleo), que lidera o ranking das exportações de produtos agrícolas do Brasil, as vendas externas tiveram queda de 56,7% para US$ 703 milhões no mês. O item mais vendido nessa lista, a soja em grão, registrou uma redução de 58,2%, para US$ 413 milhões.

Também em tendência de declínio verificada nos últimos meses, as exportações de carnes amargaram recuo de 6,1% para US$ 1,1 bilhão em outubro, assim como as vendas externas de produtos florestais, que tiveram redução de 14,8% para US$ 826 milhões.

Dentre os itens que tiveram resultado mensal positivo estão os embarques de açúcar e etanol, que renderam 5,4% mais (US$ 910 milhões), e os de café que cresceram 3,4%, para US$ 571 milhões.

Principal mercado para as exportações brasileiras do agronegócio, a China importou do setor US$ 956,2 milhões durante outubro, 28,2% a menos do que no mesmo mês do ano anterior. Com isso, a participação do país asiático na balança setorial brasileira também recuou – de 17,1%, em outubro de 2015, para 16,7% no mês passado.

Quando se consideram os primeiros dez meses do ano, as vendas externas do agronegócio brasileiro caíram 2,2% na comparação com igual intervalo de 2015, atingindo US$ 73,1 bilhões. Já as importações recuaram 1,7% no mesmo período, para US$ 11 bilhões.

Entre janeiro a outubro de 2016, a receita com as exportações de soja e derivados recuou 7,2%, para US$ 24,2. Na mesma base de comparação, a receita com os embarques de carnes caiu 2,5%, para US$ 11,8 bilhões. Já a receita com as vendas de cereais ficou estável, em US$ 3,8 bilhões. Nos primeiros dez meses do ano, os embarques de café recuaram 17,1%, para US$ 4,2 bilhões.

Já as exportações de açúcar e etanol se destacaram mais uma vez, alinhadas com o desempenho dos meses anteriores, e cresceram 33,6% para US$ 9 bilhões nos primeiros dez meses do ano.

Por Cristiano Zaia | De Brasília

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *