Receita da Cooxupé alcançou R$ 4 bi em 2015

A Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé) registrou um faturamento bruto de R$ 4,002 bilhões no ano passado, um crescimento de 57% ante 2014, quando havia obtido uma receita de R$ 2,544 bilhões. As sobras da Cooxupé – o equivalente ao lucro nas cooperativas – totalizaram R$ 153 milhões no ano passado, acima dos R$ 130 milhões de 2014.

No ano que passou, a cooperativa mineira, a maior exportadora de café do Brasil, recebeu 5,2 milhões de sacas de arábica, um aumento de 4% sobre as 5 milhões de sacas de 2014, apesar do ano de bienalidade baixa na produção de café.

As vendas externas de café da Cooxupé cresceram 26% sobre o ano anterior e somaram 4,1 milhões de sacas do grão verde tipo arábica. No total, a comercialização somou 5,6 milhões de sacas entre vendas tanto no mercado externo quanto no interno.

O presidente da cooperativa, Carlos Alberto Paulino da Costa, disse ao Valor que o dólar valorizado explica o aumento do faturamento em 2015, já que as exportações da Cooxupé geraram uma maior receita em reais.

No entanto, houve uma piora nas margens em 2015 por conta de aumento de custos, o que acabou levando as sobras a crescerem bem menos que a receita.

A cooperativa, que realizou assembleia geral dos seus associados ontem, informou, em nota, que investiu, em 2015, mais de R$ 75 milhões. Foram aportes, por exemplo, na ampliação de sua área de atuação com a abertura de escritórios comerciais em cidades estratégicas como Cássia, Nepomuceno, Lambari e Andradas, todas em Minas Gerais – e em Altinópolis, em São Paulo. "São municípios que oferecem produtos diferenciados para o portfólio da Cooxupé", disse, em nota, Paulino da Costa.

De acordo com a cooperativa, o avanço da área de atuação levou ao aumento do número de associados em 2015. A Cooxupé encerrou o ano passado com 12.666 associados ante os 11.961 de 2014. Do total de cooperados, 97,3% são representados por mini e pequenos produtores do Sul e Cerrado mineiros e do Vale do Rio Pardo (SP).

A meta da Cooxupé para 2016 é alcançar um faturamento de R$ 4,6 bilhões, 15% a mais que no ano passado. Isso deve ser possível graças ao maior volume de café a ser recebido. Mas o comportamento do dólar também será fundamental. "O dólar será o X da questão", disse o presidente da cooperativa. Segundo ele, a projeção é que a cooperativa receba este ano 6 milhões de sacas de café e exporte 4,6 milhões.

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *