Receita agrícola recorde nos EUA

Prestes a colher a maior safra da história, os produtores rurais americanos devem obter em 2013 uma renda líquida de US$ 120,6 bilhões, projetou ontem o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Trata-se de um aumento de 6% na comparação com os US$ 113,8 bilhões amealhados no ano passado e do maior valor já registrado em termos nominais – ajustado à inflação, perde apenas para o resultado obtido em 1973.

Apesar disso, o valor é 5,9% inferior aos US$ 128,2 bilhões projetados pelo USDA em fevereiro. O corte reflete a perspectiva de preços mais baixos para as principais commodities agrícolas produzidas no país.

A elevação da renda deve ser assegurada pelo aumento da produção agropecuária, que se recupera dos efeitos de uma severa estiagem em 2012.

O ganho deve ser minimizado, porém, pela queda nos preços das commodities – sobretudo, milho e soja – e o aumento das despesas no campo.

A expectativa é que a renda bruta do setor agropecuário americano cresça 4,4% em 2013, a US$ 474,8 bilhões. Já os custos devem subir 3,8%, a US$ 354,2 bilhões.

"Em termos nominais e ajustados à inflação, as despesas de 2013 devem ser as mais altas já registradas. Alugueis, salários e rações são os itens que mais devem subir", observa o USDA.

O USDA estima o valor da produção agrícola (grãos, fibras, frutas, vegetais e tabaco) de 2013 em US$ 222,9 bilhões, um aumento de 2,7% em relação ao ano passado.

Apesar do crescimento, a receita em caixa dos agricultores (o valor efetivamente embolsado) deve cair 5,5% neste ano, para pouco mais de US$ 211 bilhões.

A redução reflete a queda esperada nas cotações de milho, soja, algodão e amendoim – que, segundo o USDA, deve mais do que anular o aumento do volume de venda esperado para 2013.

De acordo com o órgão, o preço médio do milho deve cair quase 13% no ano, para US$ 5,85 por bushel. Já a cotação da soja é estimada em US$ 12,88 por bushel, baixa de 6,1%.

Contudo, esse efeito deve ser mais do que compensado pelo aumento dos estoques. O valor atribuído aos volumes que serão negociados apenas no próximo exercício deve crescer em US$ 18,3 bilhões. Em 2012, o valor dos estoques amargou uma queda de US$ 8,1 bilhões.

Os produtores devem obter ainda US$ 36,9 bilhões em "outras receitas", um aumento de 9,9% em relação ao ano passado. O valor inclui o pagamento dos seguros relacionados às perdas de safra do ano passado. O valor dos subsídios agrícolas também deve crescer, 4,7%, para US$ 11,1 bilhões, segundo o relatório do USDA.

Já o valor da produção pecuária deve crescer 5,2%, a US$ 179,3 bilhões, puxado pelo aumento da receita com as vendas de leite e frango, cujos preços devem subir 6% e 22%, respectivamente.

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3249476/receita-agricola-recorde-nos-eua#ixzz2dGqUZMks

Fonte: Valor | Por Gerson Freitas Jr. | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *