Área rural terá investimento de R$ 15 milhões este ano

Esta é a soma de recursos que contemplarão os pequenos produtores, entre programas de governo, Fundo de Desenvolvimento Rural e financiamentos

A aplicação de cerca de R$ 6 milhões do Fundo de Desenvolvimento Rural ao longo do ano na produção local e o financiamento de mais R$ 3 milhões por meio do Fundo de Aval, além do convênio de R$ 5,2 milhões firmado com o Ministério do Desenvolvimento Social, no fim do ano passado, para a aquisição de produtos da agricultura e a doação simultânea desses produtos são algumas das ações que vão alavancar o desenvolvimento rural no Distrito Federal este ano.

Segundo o secretário de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Lúcio Taveira Valadão, o programa de Aquisição da Produção da Agricultura (PAPA-DF) foi uma das importantes conquistas de 2011 que irá repercutir na melhoria das condições de produção e comercialização dos produtos do campo. "Foi um avanço importante esse programa de aquisição de alimentos porque ele incentiva a produção e faz a transferência de renda também", observa.

Outra medida de destaque promovida foi o retorno da operação do Fundo de Desenvolvimento Rural, que é destinado à produção local, mas estava parado há mais de um ano. "Nós conseguimos, no ano passado, aplicar um milhão e quatrocentos mil reais desse fundo no financiamento de máquinas e equipamentos aos produtores rurais e estamos ampliando essa aplicação este ano. A gente quer ver se aplica cinco ou seis milhões de reais que estão disponíveis por meio desse fundo", antecipa.

Também para fomentar o desenvolvimento rural, no fim do ano passado, Agnelo Queiroz sancionou a lei que regulamenta o fundo de Aval do DF, uma reivindicação dos agricultores há cerca de uma década. Os recursos do fundo virão das taxas cobradas pela concessão de uso dos imóveis rurais. "Esse fundo vai permitir que aqueles agricultores com dificuldade de ter seus avalistas para fazer seus financiamentos tenham acesso aos financiamentos. Já estamos fazendo a regulamentação dessa lei para ver se até o fim de fevereiro começamos a operar."

Regularização e geração de renda

A regularização de terras rurais, segundo Lúcio Valadão, é sempre uma prioridade de trabalho em sua pasta porque se trata de uma demanda histórica dos agricultores do DF. "O atendimento dessa demanda vai permitir um grande aumento dos investimentos no meio rural. Nós temos trabalhado junto com a Emater para tornar isso possível e temos feito um trabalho muito próximo da Terracap que na verdade é a dona das terras. Estamos fazendo isso de forma a trazer certa tranquilidade para o setor que anseia e aguarda por isso há muito tempo", explica o secretário.

Segundo Valadão, a regularização é um dos compromissos que o governador Agnelo Queiroz assumiu com o setor rural e isso está sendo cumprido. Para os que desconhecem a dimensão do meio rural de Brasília, o secretário esclarece que 69% do território do DF são terras rurais. "Brasília é muito conhecida pelos seus aspectos políticos e administrativos, mas tem uma área rural que cumpre uma função histórica desde a época da transferência da capital do Rio de Janeiro para Brasília. A criação dessa área rural estava prevista porque havia necessidade de abastecer com produtos locais a população que vinha aqui se instalar", conta.

Fonte: COLETIVO – DF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.