Área de trigo deve aumentar 6,51% no Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul deverá plantar 993 mil hectares com trigo neste ano, representando um aumento de 6,51% em relação a 2011. A informação consta no primeiro levantamento sobre intenção de plantio da safra 2012, divulgado nesta quinta-feira pela Emater-RS. A pesquisa, realizada durante o mês de maio, recebeu informações de 261 municípios que cobrem 85% da área a ser cultivada.
O maior aumento foi observado na região de Ijuí, que detém 30% sobre o total a ser cultivado. Lá o crescimento projetado pode chegar a 11%. Em Santa Rosa, com 27% do total, o incremento sobre o ano passado é de 7,83%.
De acordo com Ataídes Jacobsen, assistente técnico estadual de trigo da Emater-RS, o crescimento na área plantada era esperado, uma vez que produtores que sofreram perdas com a estiagem nas lavouras de verão buscam recuperar os prejuízos investindo em cultivos de inverno. “Podemos ver claramente essa tendência na região de Ijuí, por exemplo, que foi duramente atingida pela estiagem e agora registrou a maior elevação no plantio de trigo.”
Para Hamilton Jardim, presidente da Comissão do Trigo da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), os produtores gaúchos estão sendo incentivados pela redução de área do cereal tanto na Argentina quanto no estado do Paraná, onde a queda foi de 25%. A menor competição no mercado, somada à alta do dólar, promete bons lucros para quem investir na cultura. “Apesar de os custos de produção também estarem elevados, a perspectiva é que os triticultores consigam obter uma boa renda.” Conforme Jardim, atualmente, para plantar um hectare de trigo, o desembolso do produtor no Estado chega a R$ 1,2 mil.
Apesar do crescimento de área, a produção projetada pela Emater-RS para 2012 deve atingir inicialmente 2,54 milhões de toneladas, ficando 7,2% menor que a safra passada, quando foram colhidos 2,742 milhões de toneladas, segundo o IBGE. Para Jacobsen, essa redução é consequência de uma projeção conservadora para a produtividade inicial, estimada a partir da tendência observada nos municípios ao longo dos últimos dez anos, que fica em 2.562 quilos por hectare contra os 2.941 quilos por hectare obtidos ano passado, resultando em uma diferença negativa de 12,89%. “Em 2011 tivemos um recorde de rendimento nas lavouras, então não podemos trabalhar com uma concepção de um novo resultado extraordinário.” Por outro lado, Jardim acredita que ainda é muito cedo para apostar numa queda acentuada. “A semeadura está apenas começando, então é muito prematuro planejar uma diminuição de produtividade.”
Atualmente, o plantio de trigo no Estado está atrasado devido à estiagem. A pouca umidade presente no solo vem impedindo um avanço mais significativo na área semeada. Na safra passada, nesta mesma época, o percentual chegava a 18%; na atual, alcança apenas 8% em âmbito estadual. De maneira localizada, a região de Santa Rosa é a que atinge o maior percentual, chegando a 14% do projetado para a região.

Fonte: Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *