Área de soja deverá crescer nos EUA em 2017/18

Diante de preços acima do registrado no início de 2016, quando as perspectivas eram mais pessimistas para a oferta mundial de soja, os produtores americanos tendem a ampliar a área plantada nos Estados Unidos para patamares recorde na safra 2017/18. Segundo levantamento realizado pelo Departamento de Agricultura do país (USDA), serão semeadas 35,61 milhões de hectares com a oleaginosa, 5,7% mais que na atual temporada.

Com uma oferta de 117,2 milhões de toneladas no país neste ciclo 2016/17, a nova estimativa derrubou os preços do grão na bolsa de Chicago ontem. Os papéis para maio fecharam a US$ 10,225 o bushel, recuo de 11 centavos. "Esse aumento de área já era esperado, mas a soja já vinha sinalizando que passaria por uma correção porque apresentava preços que não eram para ser assim tão firmes", diz Daniele Siqueira, analista da AGRural.

Segundo Daniele, as cotações atuais não espelham a safra recorde no Brasil, avaliada em 104 milhões de toneladas pelo USDA, e a recente melhora climática na Argentina. Ela lembra que em 1º de fevereiro de 2016 as cotações em Chicago estavam em US$ 8,8075 o bushel, mesmo com quedas na produção de Brasil e Argentina.

As primeiras projeções do USDA para a próxima temporada também indicaram queda das áreas plantadas de milho e trigo nos EUA – de 4,3% e 8,3%, para 36,42 milhões e 18,62 milhões de hectares, respectivamente. Ainda assim, os preços dos dois cereais registraram queda na bolsa de Chicago ontem, refletindo o avanço dos estoques nos EUA.

Segundo o USDA, o pais contará com uma reserva 33,5% maior de milho ao término desta safra 2016/17. Os papéis do milho com vencimento em maio fecharam a US$ 3,725 o bushel, recuo de 5,75 centavos. Já os do trigo com entrega para o mesmo mês fecharam a US$ 4,535 o bushel, uma queda de 2,5 centavos.

Por Cleyton Vilarino e Fernanda Pressinott | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *