Rastro de prejuízo no campo

O temporal que atingiu o Rio Grande do Sul na madrugada de ontem espalhou prejuízos na área rural, destruiu armazéns, atingiu lavouras prontas para a colheita e matou animais. Os maiores prejuízos foram registrados em lavouras de fumo. Segundo a Afubra, até a tarde de ontem, eram contabilizados 1.853 comunicados de perdas na Região Sul (RS, SC e PR), sendo mais de mil casos apenas no Rio Grande do Sul. Segundo o gerente técnico da Afubra, Iraldo Backes, os números devem ser ainda maiores. Só em São Lourenço do Sul foram pelo menos 500 lavouras de tabaco atingidas, além das roças de milho. Dados preliminares da Emater indicam que o número de agricultores atingidos no município, que tem 3 mil produtores e 10 mil hectares de tabaco, pode chegar a 800 com danos oscilando de 20% a 100%. ‘Estas lavouras são de produtores que possuem seguro. Se considerarmos aqueles produtores que não têm seguro, este número pode dobrar’, pondera o agrônomo da Emater, Vitor Wienke. Ele relatou que as pedras de granizo tinham o tamanho de um ovo. Há informação de 75 estufas destelhadas e 600 residências danificadas. As localidades mais atingidas foram Sítio, Gusmão, Butiá, Santa Isabel, Espinilho, Evaristo, Faxinal, Coqueiro, Pinheiros e Picada Sabão. No milho, as perdas estimadas são de 15%, mas ainda existe possibilidade de recuperação. Há relatos de mortes de aves e bovinos, além de danos de 20% a 30% em pomares de figo. Na região, foram registrados junto à Afubra avisos em Amaral Ferrador, Canguçu, Dom Feliciano e Chuvisca.

Em Encruzilhada do Sul, o granizo causou danos em lavouras de soja, tabaco, pepino e uvas. Em Cruz Alta, casas da zona rural foram destelhadas e um armazém de grãos, localizado próximo ao trevo de saída do município, desabou com o vento. Não houve prejuízo à produção, somente danos materiais, pois as sementes já haviam sido plantadas.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *