Questão de confiança

A relação cooperativa-associado é, basicamente, uma relação de confiança. O associado, dono da cooperativa, confia na equipe que elegeu para gerir o seu patrimônio e, por isso, entrega à empresa sua safra para ser armazenada e comercializada.
Quando essa relação de confiança se quebra, instala-se um círculo vicioso temerário: o associado deixa de entregar o produto do seu trabalho para a cooperativa, por medo de não receber o pagamento, e, sem a produção do associado, a cooperativa não tem como remunerá-lo.
O desfecho desse impasse é bem conhecido dos agricultores… Foram as cooperativas tritícolas da década de 1950 que estabeleceram as bases do moderno agronegócio gaúcho. O sistema cooperativista chegou a controlar fábricas de insumos, de alimentos, frotas de caminhões e de navios.
No final dos anos 1980, veio o colapso. Hoje, o sistema tenta se reerguer. A Cotrijuí foi uma das estrelas da era de ouro do cooperativismo. Remanescente desse período, ainda é uma grande cooperativa. Espera-se que o sentimento de insegurança que se instalou na Cotrijuí não descambe para uma crise. E que os problemas da cooperativa não contaminem o restante do sistema.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho