Quem desmatar para abrir novos pastos, vai ter boi apreendido e doado, diz Izabella Teixeira

Fonte: Canal Rural | MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

Ministra do Meio Ambiente divulgou série de medidas para coibir a derrubada ilegal de árvores

O aumento de tendência de desmatamento na Amazônia acendeu a luz amarela no governo federal. Só no Mato Grosso, entre abril e março deste ano, foram detectados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) o desmate de 477,4 qiolômetros quadrados. Em um ano, entre agosto de 2010 e abril de 2011, nas áreas medidas pelo Inpe, houve um acréscimo de 43% no desmatamento naquele Estado. Em toda a Amazônia, neste mesmo período, o aumento da área desmatada foi de 27%.
Diante dos números divulgados, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, avisou:
– Quem tiver apostando no desmatamento para abrir novos pastos, vai ter o boi apreendido e doado para o Programa Fome Zero – disse. Segundo a ministra, o recado também vale para quem está desmatando para aumentar a produção agrícola.
Izabella Teixeira considerou a situação ”inaceitável” e divulgou uma série de medidas que o Governo está adotando para coibir o desmatamento ilegal. De acordo com ela, o gabinete anticrise – do qual fazem parte a Polícia Federal, a Força Nacional de Segurança e a Polícia Rodoviária Federal – foi convocado e vem se reunindo semanalmente para avaliar a situação.
– Colocamos mais 500 homens em Mato Grosso e vamos sufocar o crime ambiental. E, até que o desmatamento seja reduzido, ninguém sai do campo – afirmou ela.
Além do trabalho integrado com o Inpe, o Ministério do Meio Ambiente fará o monitoramento online das áreas embargadas. Vai também analisar a situação de cada município e o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAm) vai analisar o que falhou com relação ao Mato Grosso. O MMA também vem mantendo contato com os responsáveis pelos acordos relativo à moratória da Soja, da Madeira e da Pecuária.
Embora seja considerado atípico para este período do ano, pois ainda não é o período da seca, o comportamento do Mato Grosso surpreendeu o governo.
– Ainda não sabemos o que está acontecendo. Estamos avaliando a situação. Nos próximos 15 dias estaremos divulgando uma avaliação final, após o contato com as equipes do Ibama e dos Estados – garantiu a ministra.
O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloízio Mercadante, presente à avaliação, informou que o seu ministério e o Inpe estão emprenhados em fortalecer a parceria com o Meio Ambiente para que o desmatamento na Amazônia seja sufocado.
– Vamos fazer isso oferecendo informações de qualidade e em tempo real, para que possamos atuar com mais eficiência – observou. Segundo o ministro, se enganam as pessoas que acham que podem esconder as práticas de crime ambientais.
– Estamos vendo tudo por meio dos satélites. Não tem como esconder – concluiu.
De acordo com informações do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), o desmatamento ilegal na Amazônia será sufocado por meio do embargo de todas as áreas desmatadas. As áreas embargadas serão expostas, o que impedirá a comercialização de gado ou grãos produzidos sobre as áreas desmatadas sem autorização. Os compradores de produtos oriundos destas áreas também serão responsabilizados pelo crime ambiental.
Uma as surpresas para o governo é o tipo de ação que vem sendo adotada pelos desmatadores. Para derrubar a florestas, os infratores estão recorrendo ao correntão, com vários metros de extensão e de até 45 centímetros de diâmetros do elo, preso a dois tratores. Segundo relatos, quando a corrente passa por uma área, toda a vegetação vai ao chão de uma só vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *