Queijarias terão nova norma técnica

Requisitos obrigatórios para o registro de queijarias serão alterados para estimular a legalização no Estado. A instrução normativa será válida para microestabelecimentos que produzam até 250 litros de leite/dia para esta finalidade e não usem matéria-prima de terceiros. O anúncio é esperado durante o encontro sobre queijos artesanais, que começa amanhã, na Capital. O enquadramento funcionará como uma espécie de gatilho para garantir a qualidade. Atualmente, esse público está submetido às mesmas normas de postos de resfriamento e fábricas de lácteos, independente do porte. ‘Nosso objetivo é trazer para a formalidade um universo enorme’, disse o secretário-adjunto Claudio Fioreze.

As novas determinações se referem à infraestrutura das queijarias. Dentre as exigências a serem dispensadas estão a existência de laboratório para análise, o que poderá ser feito na sala de recepção do produto, já que o volume é pequeno e o leite, próprio. Também deve cair a obrigatoriedade de sala para higienização, que poderá ser feita no local de produção. O texto, em fase final de elaboração pelo Dipoa, responsável pela fiscalização, partiu das discussões do grupo formado pelas secretarias da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Emater, Ministério da Agricultura, UFSM e Ufrgs. De acordo com Renato dos Santos, engenheiro de alimentos da Emater, a normativa também adapta as normas à realidade dos empreendimentos.

A modificação é pleiteada há anos. ‘É muito difícil trabalhar porque a fiscalização exige o mesmo que das grandes empresas’, festeja o secretário-executivo da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul, Alexandre Rota.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *