Próximo Plano Safra pode vir com mais recursos para o Moderfrota

Secretário de Política Agrícola, Seneri Paludo, afirma que o governo pretende revitalizar o programa de modernização de máquinas e implementos agrícolas

Daniel Lessa/Agencia RBS

Foto: Daniel Lessa/Agencia RBS

Moderfrota oferece recursos para compra de máquinas e implementos agrícolas

O novo secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Seneri Paludo, afirma que o governo quer revitalizar o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras, o Moderfrota, no próximo Plano Safra, que deve ser lançado em maio. O plano também deverá vir com mais recursos do que no ano passado, quando foram disponibilizados R$ 136 bilhões.

• Veja também: Global Agribusiness Forum fala sobre o mercado de máquinas agrícolas

Atualmente, grande parte das linhas de crédito e financiamento de máquinas e implementos agrícolas está no Programa de Sustentação do Investimento do BNDES (PSI), que financia também empresas exportadoras e bens de capital para diversos setores.

– Existe a tendência de revitalizar o Moderfrota. Diferente do PSI, que hoje atende a agricultura dentro de um escopo geral, gostaríamos de trabalhar em programa especifico para o agronegócio – apontou Paludo.

O secretário de Política Agrícola também afirma que o próximo Plano Safra terá mais recursos – embora não tenha adiantado valores. Paludo diz que o crescimento no volume de recursos deve acompanhar, principalmente, dois fatores: a tendência de aumento nos custos de produção e a ampliação da área cultivada.

– Os indicadores das principais culturas aponta crescimento nos custos de produção na ordem de 10% a 15%. O produtor vai precisar de maior desembolso, mais caixa e, consequentemente, maior custeio.

Defesa agropecuária

Uma novidade no próximo Plano Safra pode ser a inclusão de recursos para defesa agropecuária. Recentemente, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) questionou o montante destinado para a área da Defesa Agropecuária Animal e Vegetal, no orçamento de 2014 do Ministério da Agricultura. Para o CFVM, o valor de R$ 303,8 milhões previstos, apenas 2,1% do orçamento do Mapa, não supre a demanda da área. A deficiência é admitida pelo próprio ministro da Agricultura, Neri Geller.

– Neri está preocupado com sanidade vegetal e animal e pediu para incorporarmos recursos para defesa dentro do Plano. Estamos estudando essa possibilidade – diz Seneri Paludo.

Sobre a revisão de preços mínimos para culturas como o arroz a o trigo, o secretário de Política Agrícola destaca que terá uma reunião nos próximos dias para tratar dos valores com equipe técnica do Mapa e da Conab, mas ainda não há definições sobre quais culturas terão reajustes.

Assista à entrevista de Daniela Castro com o secretário de Política Agrícola:

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *