Protetor perto de sair do papel

Seis anos após a formulação do projeto que cria um programa de saúde preventivo e de proteção dos agricultores ao sol, finalmente a minuta da nota técnica que estabelecerá as normas que servirão de base para o decreto de regulamentação está na reta final. Embora o texto ainda tenha de passar pelos crivos das secretarias da Saúde e Fazenda, além da Casa Civil, a determinação política do governador Tarso Genro para que as coisas aconteçam deu novo gás para que o programa se torne realidade. O projeto piloto de distribuição gratuita do protetor solar deve começar no segundo semestre e durar um ano. A expectativa do deputado Heitor Schuch, autor do projeto, é que nesta primeira etapa possam ser beneficiados 50 mil agricultores com três tubos de 120 ml cada.

De acordo com o diretor do Laboratório Farmacêutico do RS (Lafergs), Paulo Mayorga, o programa, pela sua envergadura e seu ineditismo, precisa ser construído considerando todos os impactos no sistema de saúde, já que prevê também garantia de consultas médicas periódicas dos agricultores cadastrados e monitoramento epidemiológico. Ele acredita ser possível iniciar o piloto ainda em 2013, fase para testar a logística de distribuição e mensurar a demanda. Mas diz que, neste momento, a verba ainda é para 100 mil frascos. Os critérios para a escolha dos municípios do piloto estão alinhavados: são dados do Instituto Nacional do Câncer de óbitos por câncer de pele e o número de Declaração de Aptidão ao Pronaf.

Sem os equipamentos necessários para fabricar o protetor nem autorizações para isso, o Lafergs irá terceirizar a produção. Com fórmula própria, o protetor levará a marca Lafergs, o que permitirá ao laboratório entrar num novo mercado, ampliando possibilidades comerciais para o Estado, frisa Mayorga.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!