Promotor sinaliza novas prisões

O trabalho do Ministério Público (MP) gaúcho deverá estar concentrado a partir de hoje nas provas para apresentar a denúncia criminal sobre a fraude no leite à Justiça nesta semana. O promotor de Justiça Mauro Rockembach anunciou ontem que poderão ocorrer outras prisões nos próximos dias em função da adulteração do leite no Rio Grande do Sul. A operação Leite Compen$ado prendeu nove suspeitos, dos quais sete continuam presos. A investigação do Ministério Público ficou concentrada nesta etapa em três cidades: Ibirubá, Horizontina e Guaporé. De acordo Rockembach, é investigado o mesmo esquema em mais três municípios. ‘Com certeza, nos próximos dias teremos novidades, com novos pedidos de prisão’, explica. A Promotoria de Defesa do Consumidor pretende ouvir nesta semana representantes das indústrias responsáveis pelo leite que foi contaminado. Foram citados lotes das marcas Hollmann, Goolac, Só Milk, Italac, Líder, Mu-Mu e Latvida.

O total de leite adulterado movimentado durante um ano chegou a 100 milhões de litros. Conforme a operação Leite Compen$ado, mais de 100 toneladas de ureia teriam sido adquiridas para a mistura. Em uma das formas de fraude, ureia era adicionada na proporção de um quilo para 90 litros de água e mil litros de leite.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!