Projeto Biomas é apresentado na cerimônia de comemoração dos 41 anos da Embrapa Cerrados

Brasília (21/07/2016) – A Embrapa Cerrados comemorou os seus 41 anos com um churrasco na área lazer da Associação de Empregados da Embrapa (AEE-DF) e com um Dia de Campo.

No Dia de Campo, que reuniu diversos pesquisadores, o coordenador do Projeto Biomas no Cerrado e pesquisador da Embrapa Cerrados, Felipe Ribeiro, apresentou o andamento e resultados das pesquisas realizadas na área experimental do Projeto Biomas, localizada na Fazenda Entre Rios, na região sudeste do Distrito Federal.

O pesquisador José Felipe Ribeiro destacou soluções tecnológicas desenvolvidas pela Embrapa e parceiros para a adequação ambiental da propriedade rural. “As legislações de proteção da vegetação nativa preveem restauração. E o nosso trabalho é subsidiar os produtores com informações sobre como proceder”, explicou. O pesquisador trabalha na equipe do projeto especial da diretoria, que envolve praticamente todas as unidades da Embrapa, e que busca trazer soluções tecnológicas para atender as demandas de adequação ambiental, além de coordenar as ações do Projeto Biomas no seu componente Cerrado.

O projeto Biomas é realizado pela parceria entre a Embrapa e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) nos seis biomas brasileiros com a missão de apresentar aos produtores rurais modelos de uso da árvore com fins econômicos e ambientais. Vários experimentos nesse sentido estão instalados na área da Fazenda Entre Rios (PAD DF) com resultados de semeadura direta e plantios de mudas de nativas.

Como produto da integração desses dois projetos, Felipe contou ainda que foi produzida uma lista de mais de 300 espécies, desde árvores até herbáceas, já pesquisadas com potencial econômico e ambiental para recuperação das diferentes paisagens naturais do Cerrado. Ele explicou que com a obrigatoriedade de registro das propriedades no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e consequente necessidade de resolver os passivos ambientais dessas propriedades, informações como essas serão de suma importância para orientar o produtor na hora da tomada de decisão com quais espécies recuperar. 

“Em breve a Embrapa vai lançar um site com informações sobre as estratégias de restauração que a empresa e os parceiros sugerem para a recuperação para as diferentes fisionomias dos biomas nacionais. Estamos falando desde estratégias mais simples como cercar e deixar a natureza se recuperar, até as mais caras e elaboradas como semeadura direta e plantios de mudas. Temos que dar alternativas para o produtor. Estamos trabalhando há mais de quatro anos nesse desafio de procurar onde estavam essas informações dentro e fora da Embrapa e fazê-las chegar a quem precisa”, relatou.

Débora Silva e Roberto Ogata, técnicos contratados para dar apoio ao projeto Biomas, também participaram da estação e relataram alguns resultados já alcançados pelo trabalho. Na ocasião, o pesquisador Felipe Ribeiro deu voz aos próprios participantes do Dia de Campo incentivando-os a contarem como o trabalho de cada um contribui significativamente, no dia-a-dia, para o bom andamento das pesquisas. “Estamos comemorando aqui uma parceria. Todo esse trabalho que vocês estão vendo aqui só é possível porque contamos com apoio de cada um de vocês”, enfatizou.

Reconhecimento da pesquisa e confiança no futuro


O presidente da Embrapa Maurício Lopes prestigiou o evento. Ele destacou a importância daquele momento. “Essa unidade teve uma participação fortíssima na transformação do Cerrado. Vocês são parte dessa história de sucesso e devem se sentir honrados por esse protagonismo da Embrapa Cerrados”, ressaltou. Ele também tratou do momento atual pelo qual passa a empresa. “Esta não é a primeira crise que estamos enfrentando, e provavelmente não será a última. Mas, tenho certeza que em função da qualidade dos nossos recursos humanos, vamos seguir dando grandes contribuições para o país”, afirmou.

Sobre o Projeto Biomas
O Projeto Biomas, iniciado em 2010, é fruto de uma parceria entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com a participação de mais de quatrocentos pesquisadores e professores de diferentes instituições, em um prazo de nove anos.

Os estudos estão sendo desenvolvidos nos 6 biomas brasileiros para viabilizar soluções com árvores para a proteção, recuperação e o uso sustentável de propriedades rurais nos diferentes biomas.

O Projeto Biomas tem o apoio do SENAR, SEBRAE, Monsanto, John Deere e BNDES. No Cerrado, o Projeto Biomas é coordenado pela Embrapa Cerrados, com apoio da Embrapa Florestas, Emater/GO, Instituto Federal Goiano, Universidade de Brasília – UNB e Universidade Federal de Goiás – UFG.

Assessoria de Comunicação CNA, com informações da Embrapa Cerrados

Fonte : CNA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *