PROJEÇÃO DE MAIS RECORDE

Conab fala em safra de 200 milhões de toneladas, embalada pelas perspectivas para a soja

Mesmo diante das adversidades climáticas, os técnicos do Ministério da Agricultura (Mapa) acreditam que a safra 2013/2014 chegará ao recorde de 200 milhões de toneladas. O quarto levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado ontem, aponta para 196,67 milhões de toneladas, também recorde, mas a soja ainda pode melhorar esse resultado. Por enquanto a produção estimada para a oleaginosa segue em 90,02 milhões de t. O milho, com 78,78 milhões de toneladas, e o arroz, com 12,22 milhões de t, também se mantiveram em relação ao terceiro levantamento, de 195,9 milhões de t.

A supersafra tende a diminuir o preço ao produtor, pois quanto maior a colheita, maior é a pressão sobre as cotações. ‘Ainda assim, é preferível ter mais produção e menor preço, pois não adianta ter melhor preço e quebra na produção’, avalia o analista de mercado Argemiro Luis Brum. Ele acrescenta que somente o clima poderá alterar a perspectiva de safra de grãos, que, se confirmada, será 5,2% superior à safra 2012/2013.

O levantamento de ontem praticamente repete o último estudo no Estado, com safra prevista de 30,86 milhões de toneladas. Foram mantidas as estimativas para as três principais culturas de verão, arroz, milho e soja. Contudo, o levantamento, feito entre 15 a 18 de dezembro, ainda não traz reflexos do efeito do calor intenso e da escassez de chuvas registrados a partir da segunda quinzena do mês passado. De acordo com o superintendente regional substituto da Conab, Ernesto Irgang, é possível que as consequências sejam percebidas no próximo estudo, a partir do dia 20. ‘Mas hoje ainda não é impactante, a situação de forma geral é normal’, avalia. Segundo Ernesto, o maior avanço da produção gaúcha está nas demais culturas – cevada triticale, sorgo e canola, que neste levantamento tiveram incremento de 130 toneladas. ‘São ajustes em função da sinalização da colheita’, explica.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *