Produtores do Rio Grande do Sul aprovam revisão da normativa que regula atividade leiteira

Medida dá um prazo maior para que país consiga ter os mesmos padrões de qualidade da União Europeia

Cristiano Dalcin

Produtores do Sul do país aprovam a revisão da Instrução Normativa 51, que regula a atividade leiteira no Brasil. Divulgada nessa sexta, dia 30, a Instrução Normativa 62, ela dá um prazo maior de adaptação, para que até 2016, o país consiga ter os mesmos padrões de qualidade dos países da União Europeia.
O manuseio e a alimentação do gado, cuidados com a ordenha, armazenamento e resfriamento do leite vão ser fundamentais para garantir o aumento da qualidade do produto. Antes da revisão, a instrução normativa determinava que a partir de 2012, o índice de placas bacterianas baixasse de 750 mil para 100 mil por mililitro de leite. Agora, esta mudança e a que reduz também a contagem de células somáticas vai ser gradativa nos próximos quatro anos.
— O processo continua. Ele pode ser feito aos poucos, com mais prazo, e nem tudo é investimento. Talvez os equipamentos e alguma coisa na alimentação requeiram algum investimento, mas também existe a parte de manuseio, manejo, limpeza e qualidade no momento da ordenha e isso é questão de uso de equipamentos e de ter um cuidado na hora da ordenha. A questão sanitária também é muito importante e precisamos trabalhar neste sentido — afirma Elton Weber, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag).

Fonte: CANAL RURAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.