Produtores brasileiros de soja já começam a planejar o plantio de novas variedades de sementes

China, que liberou a compra, responde atualmente por cerca de 70% da soja exportada pelo Brasil

Tadeu Vilani

Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

O país asiático responde atualmente por cerca de 70% da soja exportada pelo Brasil

Após a liberação de três novas variedades de sementes transgênicas de soja pela China, os produtores brasileiros começam a pensar no plantio. O país asiático responde atualmente por cerca de 70% da soja exportada pelo Brasil.
A semente Intacta RR2 Pro, da multinacional Monsanto, que tem a propriedade para suprimir população de lagartas e é resistente a glifosato, além da CV127, criada pela BASF em parceria com a Embrapa, e a Liberty Link, da Bayer, que são tolerantes a herbicidas foram aprovadas.
A Intacta RR2 PRO, que é uma das mais esperadas pelo setor, deve ser plantada em larga escala já a partir de setembro. A semente chega ao campo com a garantia de ser resistente a quatro tipos de lagartas que afetam as lavouras de soja, a lagarta falsa medianeira, a lagarta da soja, a lagarta das maças e a broca das axilas.
A dúvida dos produtores é se a variedade vai ser resistente à lagarta helicoverpa, que nessa safra causou muitos prejuízos para os principais Estados produtores. Para se ter uma ideia do tamanho do problema, no oeste da Bahia as perdas passaram de R$ 1 bilhão. Segundo o presidente da multinacional, Monsanto, Rodrigo Santos, durante os testes realizados na safra passada, nenhum ataque da helicoverpa foi percebido.  No entanto, existe a necessidade de um manejo integrado para que a tecnologia da nova variedade não se perca.

DANIEL MORALES | CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *