Produção de soja dos EUA pode superar 90 milhões de toneladas em 2013, dizem produtores e autoridades do país

Apesar do atraso no plantio, safra deve ser a maior dos últimos três anos

Tadeu Vilani

Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

A produção norte-americana de soja no ano-safra 2013/2014 deve superar 90 milhões de toneladas pela primeira vez em três anos, apesar do atraso no plantio e de temperaturas fora do normal nas últimas semanas, disseram nesta quarta, dia 21, produtores e autoridades do setor durante uma conferência internacional de grãos.

– As temperaturas nas principais áreas produtoras estão mais elevadas na última semana e há previsão de que continuarão assim no curto prazo, o que ajudará a safra a se desenvolver – diz Randy Mann, presidente do Conselho de Exportação de Soja dos Estados Unidos.

Na semana passada, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu em quase 5% a estimativa para produção doméstica de soja no ano comercial que começará em 1º de setembro, para 88,6 milhões de toneladas, citando uma produtividade menor que a esperada inicialmente.
>>Lavouras de milho e de soja sofrem com falta de chuvas na região de Illinois (EUA)

>>Lavouras norte-americanas passam por estiagens regionalizadas no fim do verão

Em muitas regiões produtoras do norte de Iowa, de Illinois e Minnesota, as temperaturas – que há dias estavam abaixo do normal em torno de 21ºC – agora estão em 32,2ºC, o que deve beneficiar a formação de vagens, comenta o executivo-chefe do conselho, Jim Sutter.

Os EUA são o maior produtor de soja do mundo, mas na temporada atual perderam o primeiro lugar no ranking de exportação para o Brasil. Os norte-americanos tiveram que importar quase 1 milhão de toneladas em 2012/2013, depois que uma severa estiagem reduziu o rendimento das lavouras e encolheu os estoques domésticos para 3,4 milhões de tonelada, segundo dados divulgados no último relatório mensal do USDA.

– Ainda restam seis semanas antes do início da colheita e ainda podemos ter uma safra superior a 90 milhões de toneladas – afirma Mann, que cultiva milho em uma área de cerca de 1,8 mil acres (728 hectares) em sua propriedade em Kentucky.

Drew Lerner, um meteorologista da World Weather, no Kansas, prevê que haverá calor suficiente até o fim de agosto ou início de setembro para atrasar em uma ou duas semanas a chegada das geadas em algumas partes do cinturão produtor.

Sem geadas precoces, o potencial de perdas em decorrência do atraso no plantio será compensado e a produção pode ficar acima de 90 milhões de toneladas, avalia Sharon Covert, que produz soja e milho em 2.400 acres (971 ha) em Tiskilwa, no Estado de Illinois.

– Nem todos os produtores plantaram soja tardiamente e estamos esperando produtividades de até 50 bushels por acre em nossa fazenda, enquanto a média para o Estado de Ohio deve ficar em 47 bushels por acre – conta Daniel Corcoran, proprietário de 2,4 mil acres em Piketon, Ohio.

A estimativa oficial do USDA para produtividade média da safra 2013/2014 ficou em 42,6 bushels por acre no levantamento apresentado em 12 de agosto, mas o presidente do Conselho de Exportação de Soja afirma que as temperaturas mais altas em setembro podem resultar em uma média nacional de 44 bushels por acre.

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *