Produção de arroz ecológico é a principal fonte de renda em áreas destinadas para reforma agrária no RS

Produção em 2012 deve chegar a 300 mil sacas no Estado

Caco Argemi, Palácio Piratini/divulgação

Foto: Caco Argemi, Palácio Piratini/divulgação

Autoridades participaram da abertura oficial da colheita do arroz ecológico

A produção de arroz ecológico, cultivado sem o uso de agrotóxicos, é a principal fonte de renda em áreas destinadas para reforma agrária no Rio Grande do Sul. Cerca de 70% das lavouras do arroz do Estado estão nessas áreas. A previsão para 2012 é colher cerca de 300 mil sacas do grão, alta de 25% na comparação com a safra anterior.
Para celebrar a abertura oficial da colheita do arroz, autoridades estiveram nesta segunda, dia 2, no Assentamento Capela, no município de Nova Santa Rita, região metropolitana de Porto Alegre. Estiveram presentes o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, do Ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, e do Ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra. Criado em 1994, o local abriga cem famílias que moram e trabalham na área de dois mil hectares. O arroz ecológico virou uma altermativa para os produtores que entraram em crise após investir no plantio convencional.
O sistema de cultivo coloca todas as etapas da produção nas mãos dos agricultores. Nesta safra, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) cadastrou o plantio de arroz ecológico em 3,3 mil hectares do Rio Grande do Sul, em 156 lavouras divididas em 17 assentamentos.

Fonte: Ruralbr | Cristiano Dalcin | Nova Santa Rita (RS) | CANAL RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *