Problemas no Brasil afetam resultados da Yara

Reflexos negativos da greve dos caminhoneiros e da nova tabela de preços mínimos de fretes rodoviários no Brasil deverão contaminar os resultados globais da norueguesa Yara International até o quarto trimestre deste ano, afirmou na terça-feira o presidente da multinacional de fertilizantes, Svein Tore-Holsether, em teleconferência.

Segundo resultados divulgados nesta semana, as operações no Brasil, onde a empresa lidera as vendas de adubos, foram responsáveis por um impacto negativo de US$ 15 milhões em seu Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no segundo trimestre – a greve dos caminhoneiros foi em maio.

No período, as entregas de fertilizantes no Brasil caíram 18,6% em relação ao mesmo trimestre de 2017, para 1,7 milhão de toneladas. No primeiro semestre, a retração foi de 15,6%, para 3 milhões de toneladas.

"A greve teve impacto significativo nas nossas operações do segundo trimestre. E deve levar um tempo para que os impactos se esgotem, por isso esperamos algum efeito nos resultados do terceiro trimestre também", afirmou Tore-Holsether. Segundo o executivo, efeitos limitados dos problemas no Brasil ainda deverão ser vistos no quarto trimestre.

Em abril, antes da paralisação dos caminhoneiros, as entregas de fertilizantes em geral no Brasil estavam 25% maiores que no mesmo período de 2017. Em maio, porém, caíram 27% na comparação anual.

A receita da Yara no país chegou a US$ 648 milhões no segundo trimestre – US$ 497 milhões dos quais na área de fertilizantes, queda de 19,8% em relação ao obtido com adubos de abril a junho de 2017. Nos primeiros seis meses do ano, a área representou receita de US$ 986 milhões no país, 15,2% a menos que um ano antes. A receita brasileira com adubos representou 22% da receita total da Yara no segmento.

A receita global da empresa somou US$ 3,2 bilhões, alta de 15,7% sobre o segundo trimestre de 2017. O Ebitda total somou US$ 296 milhões, queda de 15,9%. A múlti registrou prejuízo de US$ 216 milhões no intervalo, após lucro de US$ 80 milhões no segundo trimestre de 2017.

Por Kauanna Navarro | De São Paulo

Fonte : Valor